Renner investe R$ 1,2 bilhão em centro de distribuição com foco em vendas online

Renner investe R$ 1,2 bilhão em centro de distribuição com foco em vendas online

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 12 de Outubro de 2021 às 17h20
Divulgação/Lojas Renner

A Lojas Renner finalizou a construção de um novo centro de distribuição (CD) em Cabreúva, no estado de São Paulo. Com previsão de começar a operar em 2022, o novo centro conta com 150 mil metros quadrados e é fruto de um investimento de R$ 1,2 bilhão com o objetivo de acelerar o negócio online da varejista de moda, especialmente do marketplace.

As vendas por canais digitais da Renner durante o segundo trimestre de 2020 somaram R$ 414,5 milhões, um crescimento de 66,5% em relação ao mesmo período de 2020.

Para Pedro Pereira, diretor de suprimentos da varejista de moda, o novo centro de distribuição da empresa pode impulsionar o crescimento do marketplace, que até agora conta com pouco mais de 50 vendedores parceiros, contra 440 da rival C&A.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“A expectativa é impulsionar as vendas online. O novo centro de distribuição foi projetado alinhado à nossa estratégia omnichannel (venda por diversos canais) e, por isso, já conta com a tecnologia mais atual para otimizar tanto o abastecimento das lojas quanto a entrega na casa dos clientes”, diz Fabio Faccio, presidente da Renner. Ainda de acordo com o executivo, o novo CD suportará o crescimento da Renner até 2035.

Do R$ 1,2 bilhão investido no novo centro de distribuição, R$ 750 milhões da própria Renner e os R$ 520 milhões restantes são provenientes de um aporte da Kinea Investimentos, gestora de fundos do Itaú.

Além do CD em Cabreúva, a Renner conta com Centros de Distribuição em Santa Cruz no Rio de Janeiro, e em São José em Santa Catarina.

Um dos centros de distribuição da Renner. (Imagem: Reprodução/Tribuna de Jundíai)

Hoje, a Renner não auxilia a logística dos vendedores, ao contrário do que empresas como o Mercado Livre e a Magalu vêm fazendo já há algum tempo. Com o novo centro de distribuição, a companhia quer em breve fornecer aos seus parceiros a possibilidade de realizar entregas em até dois dias – hoje, 60% das vendas da companhia são enviadas nesse prazo.

Investimento em tecnologia 

Segundo informações publicadas no jornal O Estado de São Paulo, do R$ 1,2 bilhão investido no novo centro de distribuição, R$ 453 milhões serão aportados em tecnologia, como compra de 312 robôs responsáveis pelo armazenamento de caixas e roupas.

Esse investimento em tecnologia será fundamental, segundo os executivos da Renner, para criar um sistema eficiente para começar a receber itens de terceiros, que serão disponibilizados no marketplace.

Até agora, em 2021, as ações da varejista estão acumulando baixa de 20%. Para reverter esse quadro, a Renner está querendo se mostrar mais ágil, com uma das metas é, por conta do novo centro de distribuição, a redução em 50% do tempo necessário para abastecimento das lojas da empresa, deixando a distribuição vinda de Santa Catarina focada nas ainda pequenas expansões da loja para a Argentina e o Uruguai.

Fonte: InfoMoney, O Estado de São Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.