Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Qual é perfil de profissionais brasileiros interessados na área de tecnologia

Por| Editado por Claudio Yuge | 12 de Janeiro de 2023 às 18h20

Link copiado!

Pexels/Buro Millennial
Pexels/Buro Millennial

A XP Educação, faculdade da empresa de investimentos, traçou o perfil de profissionais interessados na área de tecnologia através de um levantamento com candidatos do seu processo seletivo, que contou com 7.500 candidatos. Conforme demonstram os dados, a maioria é do gênero masculino, já atua no mercado tecnológico, possui mais de 30 anos e ensino superior completo.

Segundo o perfil dos entrevistados, a maioria (39%) têm entre 30 e 39 anos, enquanto 27% estão na casa dos 20 anos e 24% possuem 40 anos ou mais. Dentre os cargos que eles ocupam atualmente, destaca-se assistentes e auxiliares, com a maioria de 22%. As demais funções ocupadas são de: analistas (21%), coordenadores e gestores (12%), especialistas (10%), empreendedores (7%), freelancers (5%) e trainee ou estagiário (4%).

Dos profissionais interessados na graduação, a maioria (54%) busca transição de carreira para atuar nas áreas dos cursos, enquanto 19% buscam por conhecimento para ingressar na área tecnológica e 14% já atuam, mas querem acelerar a carreira. O CEO da XP Educação, Paulo Moraes, destaca que os resultados do estudo reforçam a ideia de visar o setor tecnológico em busca de oportunidades.

Continua após a publicidade

“A tecnologia e a inovação estão no centro de tudo. Por isso, profissões na área tech são vistas não apenas como boas oportunidades de carreira, como também uma forma de transformarem suas vidas”, observa.

Conforme demonstra a pesquisa, há um interesse relevante de pessoas de outras áreas ou desempregadas (10%). Os dados apontam que 14% dos candidatos já trabalha em tecnologia, mas o restante inclui áreas como administração e negócios (8%), engenharia de produção (6%), serviço público (5%), vendas e comércio (4%), educação e treinamento (3%), finanças (3%) e saúde (3%).

Sobre o nível de escolaridade, os dados apontam que 33% possuem o ensino superior completo, 27% o ensino médio, 22% estão cursando ou com o ensino superior incompleto, por fim, 17% possuem alguma especialização, como MBA, mestrado ou doutorado.

Quais são as principais motivações para ingressar no setor tecnológico?

Continua após a publicidade

Em parceria com a Octolab Insights, hub de desenvolvimento de pesquisas, a XP Educação conduziu um estudo visando entender o que motiva os profissionais a buscar por transição ou aceleração de carreira em tecnologia. As informações indicaram que, dentre as principais motivações, estão: se conectar ao movimento global de inovação e, assim, alcançar propósitos e objetivos pessoais — como um nível elevado de empregabilidade, crescimento profissional e independência financeira.

“A combinação desses resultados também mostra que as pessoas interessadas na carreira de tecnologia, apesar de já estarem no mercado, estão em busca de oportunidades, têm a persistência, a disciplina e a proatividade como características comportamentais inerentes ao seu perfil. Inclusive usam estas habilidades para continuar estudando e alcançar seus objetivos”, pontua Moraes.

Mulheres na tecnologia

Continua após a publicidade

Apesar de o gênero masculino ter se destacado na pesquisa (72% — homens cis gênero), o volume de interessadas do gênero feminino também é relevante (25% — mulheres cis gênero). Para o CEO da XP Educação, é fundamental que instituições de ensino promovam iniciativas afirmativas para fomentar a diversidade e a inclusão de gênero no setor.

A XP Educação destinou 50% das 400 vagas da primeira turma para mulheres e pessoas autodeclaradas pretas e pardas. O 2º processo seletivo livre de mensalidades está aberto até esta quinta-feira (12) e as inscrições podem ser realizadas pelo site da instituição.