Por que investir no aprendizado contínuo em escala para a área de TI?

Por Marco Santos | 15 de Outubro de 2020 às 10h00
Headway/Unsplash

De acordo com um levantamento do Google, a procura por cursos de especialização a distância teve um crescimento de 130% desde o início do período do isolamento social.

Instituições como a Fundação Getúlio Vargas também apresentaram aumento na demanda por cursos rápidos, gratuitos e online. A FGV registrou alta de 400% na busca pelo ensino EAD nos meses de abril e maio de 2020. A forma como lidamos com a educação, principalmente durante e pós-pandemia, mudou bastante. A tecnologia se tornou o principal condutor para esta transformação digital.

O interesse pelo aprendizado online refletiu em números: segundo o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), 466 mil novos certificados foram emitidos no Brasil em setembro de 2020, o que representa um aumento de 83% na comparação com 2019. O crescimento de lives, webinars e a disponibilidade de assuntos nos facilitou acesso rápido e fácil a conteúdos produzidos no mundo todo.

Um dos fatores que proporcionou este aumento foi a adesão de muitas empresas ao home office. Isso trouxe mais facilidade no dia a dia de algumas pessoas, com a redução do tempo para ir ao trabalho, por exemplo. Só na cidade de São Paulo, a média de deslocamento é de 2 horas e 43 minutos, de acordo com dados da Pesquisa de Mobilidade Urbana na cidade, feita pelo Ibope.

Considerando que os cursos de pós-graduação tem uma carga horária de no mínimo 360 horas, o paulistano deve perder mais de 619 horas em deslocamento em 2020, considerando 253 dias úteis este ano. Logo, fica evidente que o tempo perdido em trânsito impacta diretamente na educação.

Defendo que a base de qualquer empresa que queira atingir um grau de excelência (e entregar resultados com mais qualidade nas entregas) é saber investir nos seus talentos e saber retê-los da melhor forma. Além de proporcionar cursos de graduação, pós-graduação e certificações, é necessário investir também na troca das informações de todo o time, como a realização de debates e webinars sobre os mais diversos temas.

Quando as organizações investem na capacitação do seu time, além de trazer desenvolvimento profissional, com o aumento da produtividade e fomentar a busca por maiores desafios, elas também dão oportunidades de aprender novas técnicas, aperfeiçoar o trabalho e com isso também diminui o turnover entre o time.

É essencial que as organizações busquem alternativas para cada vez mais trazer flexibilidade no ambiente de trabalho, buscando o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional dos colaboradores. Isso vai desde regimes híbridos de trabalho, contato com times de outros estados e países, talks, cursos, parcerias, entre outros benefícios. Empresas que investem e apoiam a cultura do aprendizado tem 30% mais chances de se tornarem líderes de mercado.

O continuous scale learning, ou aprendizado contínuo em escala (em tradução livre), faz com que o time esteja preparado para lidar com as dificuldades de forma mais criativa, já que, com treinamentos e compartilhamentos de informações com a equipe, é possível antecipar problemas e pensar em soluções com mais agilidade — além de trazer melhor qualidade no atendimento, o que resulta em uma empresa mais organizada, competitiva e, consequentemente, mais rentável.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.