Microsoft utiliza Linux para desenvolver plataforma de cloud computing

Por Redação | 22 de Setembro de 2015 às 16h39

Na semana passada, a notícia de que a Microsoft havia desenvolvido sua própria distribuição Linux alardeou o mercado tecnológico. O trabalho foi realizado como parte da plataforma de cloud computing Azure, que utiliza switches de rede baseados em Linux como parte de sua infraestrutura de rede definida por software.

A própria Microsoft não está caracterizando o projeto como uma distribuição Linux, mas sim como um projeto interno. Este é um detalhe importante, visto que assim não devemos esperar que a Microsoft utilize o Linux em algum momento posterior para levar produtos ao consumidor final.

O que ajuda a explicar o trabalho da Microsoft neste sentido é a sua participação no Open Compute Project (OCP), que se trata de um grupo da indústria tecnológica que trabalha em conjunto no desenvolvimento e definição de padrões de hardware e software para equipamentos de data centers. Isso inclui projetos que envolvem alta densidade de computação, armazenamento e equipamentos de rede. Uma parte da Microsoft tem trabalhado no hardware de rede, mais especificamente no software-defined networking (SDN). O SDN adiciona uma camada de programação baseada em software, configuração e gerenciamento centralizado de hardware que são tradicionalmente difíceis de gerenciar. Switches de rede tradicionais, mesmo os modelos gerenciados não são projetados para permitir que novas políticas de alterações de VLANs sejam implantados para centenas ou milhares de dispositivos simultaneamente.

No início do ano, a Microsoft em conjunto com Dell, Mellanox, Facebook, Broadcom e Intel contribuíram para a criação da Switch Anstraction Interface (SAI), que fornece uma API comum que pode abranger uma vasta gama de ASICs (circuitos de chips integrados desenvolvidos sob medida para lidar com tarefas muito específicas). A API do SAI é multiplataforma definida para Windows e Linux. No entanto, a maior parte do hardware do switch é melhor gerida no Linux. Assim, uma distribuição Linux para apoiar estas aplicações faz sentido por parte da Microsoft.

Azure Cloud Switch

O Azure Cloud Switch (ACS) não irá chegar ao consumidor comum ou aos escritórios, mas é dedicado às grandes corporações que gerenciam grandes servidores com base na plataforma Azure. O ACS foi desenvolvido para converter dispositivos de rede em interruptores que podem conectar-se e desconectar-se de forma independente, de tal forma que os possíveis erros de software não se transmitam de um dispositivo para outro.

Segundo Kamala Subramaniam, arquiteta-chefe do projeto Azure, o ACS é capaz de "depurar, corrigir e testar erros de software". Ele também é flexível, exigindo menos recursos para desenvolver soluções para recursos de rede e data centers.

Assim, optar por desenvolver uma plataforma com o que há de melhor para as grandes corporações fortalece o produto da Microsoft, ainda que admita que o ACS é muito mais eficiente do que o Windows.

Este pode ser um grande passo para a Microsoft apoiar o software livre, algo que muitos não acreditam que acontecerá tão cedo, ou se ao menos acontecerá algum dia. De olho em várias possibilidades, a empresa de Redmond parece estar disposta a investir em uma nuvem aberta, onde todos saem ganhando em qualidade e redução de custos.

Fonte: ArsTechnica

Fonte: http://arstechnica.com/information-technology/2015/09/microsoft-has-built-software-but-not-a-linux-distribution-for-its-software-switches/

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.