Microsoft perde Stephen Elop e vai unir divisões de hardware e software

Por Redação | 17 de Junho de 2015 às 12h49

O dia começou quente nos corredores da Microsoft. Por lá, a grande notícia é a saída de Stephen Elop, o ex-CEO da Nokia, que atuava como diretor da divisão de dispositivos e serviços da companhia. O movimento faz parte, na realidade, de uma série de mudanças maiores, que prevê a união dos segmentos de hardware e software em um único grupo, que se chamará “Windows e Dispositivos”.

A diretoria da nova organização vai recair sobre Terry Mierson, que até agora, atuava como diretor de sistemas operacionais da companhia. De acordo com o CEO Satya Nadella, tratam-se de mudanças para trazer mais vantagens estratégicas para a companhia e, acima de tudo, refletir o novo olhar da empresa sobre o mercado. A ideia é trabalhar de forma concentrada no desenvolvimento de novos produtos, com todos trabalhando de maneira integrada.

Essa, afinal de contas, é a mesma ideia que permeia, hoje, todo o trabalho da Microsoft com suas plataformas. Com apps universais, por exemplo, a empresa promete entregar uma mesma experiência para seus usuários, estejam eles utilizando PCs, tablets ou smartphones com Windows Phone, ou até mesmo o Xbox One. Cada dispositivo, claro, tem suas particularidades, mas a ideia é que eles possam se unir cada vez mais e se tornarem parte de um mesmo ecossistema.

É justamente nesse trabalho que Mierson vai se focar, trabalhando do ponto de vista da engenharia e também nas novas funções dos aparelhos. Além disso, o objetivo aqui é fortificar a posição da Microsoft como fabricante de seus próprios dispositivos, entregando sempre a melhor experiência possível com eles, em vez de focar em parceiros de produção.

A saída de Elop foi amigável e, de acordo com Nadella, fruto de conversas internas relacionadas à nova organização. O ex-CEO da Nokia também não vai deixar a empresa imediatamente, e sim, após um período de transição não identificado, no qual vai, pouco a pouco, abandonar suas responsabilidades, passando-as para os novos dirigentes da companhia. Não se sabe, ainda, se ele já tem outras propostas no horizonte.

Ele também não é o único executivo a sair da empresa nesse movimento. Mark Penn, o atual vice-presidente executivo e diretor estratégico da Microsoft, também deixa a Microsoft em setembro para abrir seu próprio fundo de investimentos. Especulações apontam que, com isso, ele também pode se envolver na corrida presidencial nos Estados Unidos, que acontece no ano que vem, trabalhando como estrategista político.

Kirill Tatarinov, diretor das soluções da Microsoft para o mercado corporativo, e Eric Rudder, também do setor de estratégias avançadas, completam a lista de executivos que estão deixando a companhia como parte do atual processo. A empresa não anunciou substitutos nem falou especificamente sobre como as divisões serão trabalhadas aqui em diante, focando-se apenas em acalmar os funcionários e evitar boatos de que mais demissões estariam em vista.

Outras divisões, como a de cloud computing ou o segmento Xbox, por exemplo, devem permanecer inalteradas, sem dança das cadeiras em seus diretores ou mudanças estruturais.

Fonte: Microsoft

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.