Mark Zuckerberg se esquiva de responder o que faria se fosse CEO do Twitter

Por Redação | 26.02.2016 às 15:47
photo_camera Divulgação

O Facebook vai de vento em popa, afinal é uma das marcas mais valiosas do mundo, é a principal rede social de nosso tempo e provavelmente manterá ambas as posições durante um bom período pela frente. Assim sendo, nada mais natural do que outros serviços de internet que almejem chegar aonde o Facebook está peçam conselhos o seu principal mentor, o fundador e presidente Mark Zuckerberg.

E foi exatamente com isso em mente que um membro da plateia de uma sessão de perguntas e respostas realizada em Berlim perguntou a Zuckerberg o que ele faria caso fosse líder do Twitter. “Considerando o estado atual do Twitter, se você fosse o presidente da empresa, o que faria neste momento?”, indagou o participante.

De acordo com o Venture Beat, a pergunta não foi recebida de maneira exatamente tranquila por Zuckerberg, que se enrolou um pouco para responder e, no fim das contas, garantiu “não ter ideia” do que falar a respeito disso. “Não há um jeito certo de eu responder a esta questão... hmm... hmmmm... Deixe-me dizer... Eu não tenho ideia de como responder a isso”, replicou o criador do Facebook.

Exemplo do Instagram

Para não deixar o perguntador e os demais espectadores no vácuo, o executivo citou outra rede social como exemplo — o Instagram, que pertence ao Facebook. “Deixe-me responder a esta questão falando sobre o que nós fizemos com o Instagram”, comentou, destacando que, tradicionalmente, o Facebook é uma ferramenta mais voltada à comunicação privada entre pessoas e em pequenos grupos, diferente de plataformas como YouTube ou Twitter, cujo conteúdo é quase que necessariamente voltado ao público em geral.

Além disso, Zuckerberg indicou como trunfo da rede o trabalho feito em torno do Instagram a fim de dar as pessoas mais ferramentas para que elas estejam em contato com celebridades, políticos e atletas que admiram, compartilhando e seguindo os seus conteúdos — algo que, segundo ele, também tem a ver historicamente com o crescimento do Twitter. "O Instragram se juntou a nós quando a comunidade tinha 20 milhões de pessoas e a equipe que trabalhava nele era de 14 pessoas [...]. Desde então, nós ajudamos a aumentar a equipe — 10 vezes maior agora, e com 150 das melhores pessoas do Facebook trabalhando no Instagram. E a comunidade cresceu de 20 milhões para mais de 400 milhões de pessoas. É maior do que o Twitter", prosseguiu.

“Eu penso que muito disso se deve ao fato de termos executado o roteiro sobre o qual eu comentei, a respeito de dar às pessoas — figuras públicas — a possibilidade de produzir um excelente conteúdo puro sobre o que está acontecendo em suas vidas, dando às pessoas [comuns] a chance de se conectar a isso”, finalizou.

Fonte: Venture Beat