Ford anuncia que demitirá 10% de seus funcionários globalmente

Por Felipe Ribeiro | 20 de Maio de 2019 às 14h29
Tudo sobre

Ford

Saiba tudo sobre Ford

Ver mais

A Ford anunciou na manhã desta segunda-feira que cortará 7 mil empregos de sua força de trabalho global, ou cerca de 10% de seus 70 mil funcionários. Cerca de 20% serão gerentes de nível sênior, o que é parte de um esforço para nivelar a estrutura organizacional da empresa. Os cortes serão concluídos até agosto, segundo a Ford.

A montadora também não disse quais divisões seriam as que mais perderiam, embora uma grande parte dos 7 mil empregos eliminados provavelmente venha da decisão da empresa de fechar uma fábrica (localizada em São Bernardo do Campo) e deixar o mercado de caminhões comerciais no Brasil, que abriga cerca de 3 mil empregos. Entramos em contato com a assessoria da Ford no Brasil para obter mais detalhes sobre as demissões e como elas afetariam o Brasil, mas, até o final da edição dessa matéria, não tivemos resposta.

Além de alguns caminhões como o F-4000 e o F-350, a montadora também deixará de produzir o Fiesta e o Focus na América do Sul. Incluindo trabalhadores não assalariados, a Ford tem uma força de trabalho global de pouco mais de 200.000.

Os cortes são parte de uma reestruturação de US$ 11 bilhões (R$ 45,2 bilhões) anunciada em julho passado por Jim Hackett, CEO da Ford. Hackett foi trazido da divisão de mobilidade da Ford, em 2017, para substituir Mark Fields, que foi CEO por três anos.

A empresa utilizou Hackett por sua reputação como líder na empresa de móveis Steelcase, mas também porque ele parecia mais disposto a abraçar relacionamentos com o Vale do Silício, algo que todas as grandes montadoras têm procurado ao enfrentar a crescente concorrência de empresas de tecnologia.

Foi apenas nos últimos meses que a Ford começou a divulgar mais detalhes sobre como a empresa fará suas mudanças. Uma grande notícia em meio a essas ruins é que a Ford anunciou uma “aliança global” com a Volkswagen centrada em picapes e vans comerciais, com um olho em veículos autônomos e elétricos.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.