Facebook vai lutar para defender os direitos dos muçulmanos

Por Redação | 10.12.2015 às 13:25

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, é a mais nova personalidade a se unir à onda cada vez maior de repúdio às declarações recentes de Donald Trump, pré-candidato à presidência dos Estados Unidos, que afirmou em um discurso que os muçulmanos deveriam ser impedidos de entrar no país. Em resposta, o criador da rede social afirmou que sua empresa vai lutar para defender os direitos dos praticantes da religião.

Em alguns parágrafos de palavras breves e inspiradoras, Zuckerberg afirma que, como judeu, aprendeu desde muito cedo que todo ataque à liberdade, mesmo que não atinja ninguém pessoalmente, acaba afetando de alguma maneira no longo prazo. É exatamente por isso que ele se posicionou ao lado dos muçulmanos, garantindo que, no Facebook, eles sempre serão bem-vindos e terão seus direitos preservados.

O fundador da plataforma lembra da própria infância durante a fala. Ele diz que, desde muito pequeno, foi ensinado pela mãe a se levantar contra ataques contra qualquer comunidade. Além disso, cita o recente nascimento de sua filha, que lhe deu esperança renovada para continuar lutando contra o ódio e o cinismo. “Enquanto permanecermos juntos e vendo o bom uns nos outros, construiremos um mundo melhor para todos”, conclui ele.

I want to add my voice in support of Muslims in our community and around the world.After the Paris attacks and hate...

Posted by Mark Zuckerberg on Quarta, 9 de dezembro de 2015

No momento em que esse texto é escrito, a postagem já contava com mais de 1,1 milhão de curtidas e 160 mil compartilhamentos. Mark Zuckerberg é uma das mais recentes vozes a se manifestarem contra as afirmações de Donald Trump, um grupo que já inclui também Lady Gaga, Shakira, Matt Damon, Neil Young e várias outras celebridades.

O empresário, investidor e apresentador de TV é um dos pré-candidatos à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, onde é, hoje, um dos que possui maior intenção de votos, mesmo com toda a polêmica que tem levantado com suas declarações. Trump se posiciona ativamente contra a imigração, apoiando a deportação de 11 milhões de ilegais e a construção de um muro na fronteira entre os EUA e o México.

Fonte: Mark Zuckerberg (Facebook)