Especial fintechs: 5 plataformas para ajudar a sua vida financeira

Por Stephanie Kohn | 18 de Maio de 2017 às 14h37
photo_camera cbronline

Dois mil e dezesseis ficou marcado como o ano em que o Brasil de fato acordou para o mercado de Fintechs. Observamos o surgimento de centenas de novas empresas e organizações, além da proliferação de eventos voltados para o tema.

Um bom exemplo é o Fintech Awards Latam que realizou sua segunda edição em 2017. Este ano, a premiação recebeu 140 projetos e elegeu 5 vencedores: Crypto Market, Moneto, Magnetis, URBE.ME e Kickante. Cada um se destacou em um aspecto, mas é inegável que todos oferecem ótimos serviços ao consumidor final. Confira abaixo as vencedoras e veja como elas podem te ajudar a melhorar sua vida financeira ou realizar um projeto:

Inclusão financeira

Na categoria inclusão financeira, o Moneto levou a melhor. A startup permite que pequenos empresários envie cobranças online pelo celular. O pagador (cliente do autônomo) opta por quitar a dívida via boleto e/ou cartão de crédito acelerando. A ideia principal é agilizar o recebimento do dinheiro pelo autônomo e promover o crescimento de seus negócios.

“Estudando mais a fundo ficou claro que o recebimento em dinheiro e cheque é caro e logístico, pois pede que o autônomo se desloque, vá até o seu cliente final e às vezes nem receba o valor total. O tempo que ele poderia captar novos clientes acaba sendo perdido na cobrança de clientes antigos. Por outro lado, o pagador tem a comodidade de fazer o pagamento com cartão ou outros meios eletrônicos, sem precisar ir ao banco para tirar dinheiro e etc”, lembra Marcos Arruda, CEO da plataforma.

Modelo de negócio

A Magnetis, por sua vez, faturou o prêmio por ter o melhor modelo de negócios. A plataforma monta um plano de investimento personalizado, baseada nas respostas do usuário a um simples questionário, e começa a investir em poucos minutos. Os algoritmos foram criados para ler e analisar as respostas dos clientes e, então, definir a composição ideal de investimentos, de acordo com seus objetivos e perfil de riscos.

O serviço gratuito, que faz simulação de um plano de investimentos, já foi testado por mais de 30 mil usuários em pouco mais de dois anos. Uma parcela virou cliente e colocou o plano em prática. “Quando isso acontece, a Magnetis abre um conta na corretora Easynvest de acordo com as ordens de compra do investidor. O cliente acompanha tudo pela plataforma e pode fazer aportes adicionais pelo painel de controle na área logada”, explica Luciano Tavares, CEO da fintech.

Tração

Devido a grande tração do público, a URBE.ME ficou entre as finalistas da premiação. A ideia da plataforma é apresentar investimento imobiliário para qualquer pessoa e não apenas aquelas dispostas a oferecer altas quantias. O investidor faz o cadastro, vê as oportunidades disponíveis, faz a reserva de investimentos a partir de R$ 1 mil e confirma o aporte realizando a transferência em até 24 horas. Ele acompanha as etapas da obra pela plataforma e, ao final do projeto, recebe os rendimentos.

“Vale destacar que o investidor não é avaliado e não tem nenhum custo para investir via URBE.ME. Fazemos uma rigorosa seleção dos empreendimentos. Hoje mais de 90% dos incorporadores que nos procuram não passam em algum dos critérios de avaliação, que são: saúde financeira da incorporadora, viabilidade econômica do empreendimento, análise de arquitetura e engenharia do projeto, e análise mercadológica”, explica Paulo Deitos, fundador da startup.

Tecnologia disruptiva

A Crypto Market venceu como fintech disruptiva e é a única entre as vencedoras de fora do Brasil. A plataforma chilena permite receber e enviar valores (ethereum ETH) digitalmente, em segundos e em qualquer lugar do mundo. O usuário administra, transfere, compra e líquida seus valores digitais por meio de uma interface bem simples e intuitiva.

Segundo a fintech, 60% da população da América Latina é deixada de fora dos serviços intermediários. Por isso a Crypto Market nasceu para assegurar que participantes do mercado de diferentes países e culturas troquem valores pela web.

A tecnologia também gera automaticamente ordens de compra e venda por meio da funcionalidade Instant Exchange, segundo as condições de mercado. Além disso, a plataforma permite escolher, adquirir ou vender valores digitais via ordens de mercado (formato de comércio avançado) e conhecer os detalhes da cada operação no registro histórico.

Experiência do usuário

Por fim, a Kickante ganhou o prêmio por levar a melhor experiência ao usuário. A plataforma possui três produtos: crowdfunding, Clube Mensal de Contribuições e Eventos do bem. O mote é a arrecadação de fundos para projetos, mas com diferentes modalidades.

O crowdfunding é o já conhecido formato de financiamento coletivo. Um projeto vai ao ar e interessados podem colaborar com o valor que puder ganhando diferentes “premiações” em troca. O Clube Mensal de Contribuição, mais voltado a ONGs, artistas, atletas e etc, permite que as pessoas continuem colaborando financeiramente com os projeto mesmo após a campanha de crowdfunding ser encerrada. E o Eventos do Bem, já com 300 ONGs cadastradas, incentiva terceiros a criarem campanhas de arrecadação para as organizações não-governamentais.

“Através da campanha de crowdfunding, é possível saber se um determinado serviço ou produto fará sucesso entre os consumidores. Muitas empresas, inclusive, já utilizam o crowdfunding para analisar itens como acessos, compartilhamentos, melhor canal de desempenho, aceitação do produto, logística e etc”, comenta Candice, fundadora do site.

Quer saber mais sobre fintechs? Confira nosso especial.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.