Escritório do Google é revistado por suspeita de fraude fiscal

Por Redação | 24 de Maio de 2016 às 10h42

Nesta terça-feira (24), o Google teve seu escritório em Paris revistado pela polícia local devido a uma suspeita de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. A investigação realizada pela promotoria francesa utilizou cerca de 100 investigadores para fazer parte da operação.

Uma fonte próxima da investigação afirmou que as autoridades estão cobrando a gigante norte-americana por não ter pago 1,6 bilhão de euros referentes a impostos e que as investigações estão sendo realizadas em caráter secreto. O valor, no entanto, não foi confirmado pelo Ministério das Finanças da França.

Google, Yahoo e outras empresas de tecnologia têm incomodado as autoridades de países europeus, como França e Reino Unido, pela forma como geram lucros, mas situam suas bases tributárias em outras nações, onde os impostos sobre empresas são muito menores. As companhias defendem-se afirmando que essas práticas são legais e representam um modelo de otimização fiscal. O Google, por exemplo, mantém sua sede europeia na Irlanda, onde existe as menores alíquotas de impostos sobre empresas da União Europeia, com taxação de 12,5%.

Na França, a filial do Google já havia sido notificada a reajustar seus em março de 2014. Em janeiro deste ano, a empresa anunciou um acordo de pagamento no valor de 130 milhões de libras em impostos ao governo inglês, levantando várias críticas de legisladores, que consideraram o valor do acordo "ridículo" comparado ao tamanho dos negócios da empresa no país.

Em fevereiro, o CEO do Google, Sundar Pichai, defendeu as práticas fiscais da empresa durante uma visita a Paris. "Somos uma empresa global. Temos de respeitar as leis fiscais em todos os lugares, nós respeitamos as leis fiscais em cada país", declarou. Pichai disse, ainda, que a empresa está "defendendo fortemente" um sistema tributário mais simples para as companhias de tecnologia.

Posicionamento oficial do Google

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Google divulgou o seu posicionamento oficial sobre o assunto. Confira o texto na íntegra:

“Estamos em conformidade com a legislação fiscal da França, assim como em todos os outros países em que operamos. Estamos cooperando plenamente com as autoridades em Paris para responder às suas perguntas, como sempre”.

Via AFP