Samsung reduzirá ritmo de lançamento de novos smartphones em até 30% em 2015

Por Redação | 18.11.2014 às 11:25 - atualizado em 18.11.2014 às 14:38
photo_camera Divulgação

Enquanto o mercado se torna cada vez mais pluralizado – e alguns diriam, saturado –, parece que não veremos mais tantos aparelhos da Samsung por aí. A empresa anunciou nesta semana que vai fazer um corte de 25% a 30% na quantidade de novos lançamentos a partir do ano que vem para reduzir os custos e focar nos smartphones que realmente caíram no gosto do público.

A ideia da empresa é trabalhar mais com modelos globais ao invés de criar opções específicas para certos territórios e aumentar a sinergia entre sua linha de produtos. Isso se traduz no aproveitamento de componentes produzidos em mais de um smartphone, o que reduz os custos de fabricação e permite uma manutenção mais fácil, além de unificar o portfólio de opções da empresa. As informações foram publicadas pelo Wall Street Journal.

A redução deve afetar os setores de baixo e médio porte, justamente aqueles que apresentam maiores números de vendas, mas menos lucro para as companhias devido ao baixo preço dos dispositivos. Para o primeiro segmento, a ideia da empresa é reduzir o número de aparelhos e oferecer um serviço de suporte mais dedicado a cada um deles. Já para os aparelhos de médio porte, a fabricante asiática pretende aumentar o número de opções e se aproveitar principalmente do compartilhamento de peças para oferecer preços mais atraentes, mas que ainda assim trariam lucros maiores para sua conta.

O motivo para tudo isso é uma redução significativa no lucro, que caiu de 15% para 7% no terceiro trimestre de 2014, atingindo o total mais baixo desde 2008, quando a linha Galaxy chegou ao mercado e inflou os números da Samsung. Agora, a ideia é fomentar um crescimento sustentável nos lucros a partir do ano que vem por meio da redução na lista de lançamentos e uma maior eficiência na operação.

Algo semelhante já é oferecido hoje por empresas como Motorola, LG e Xiaomi, por exemplo, que chegam até mesmo a compartilhar componentes entre aparelhos de todas as categorias, do baixo ao alto padrão, além de utilizarem designs semelhantes em toda a sua linha. A Samsung já trabalha da segunda maneira e, agora, quer também se aproveitar da primeira ideia.

Para os usuários, porém, pouca coisa deve mudar. É claro, a Samsung deve lançar menos aparelhos no mercado e a oferta será reduzida, mas ao mesmo tempo, pelo menos na teoria, a iniciativa deve garantir a entrada de aparelhos melhores no mercado, com um ciclo de vida mais longo. Em um ecossistema tão disperso quanto o do Android, isso pode muito bem ser encarado como uma boa notícia.

A mudança também vai significar que alguns dos modelos que estão hoje nas lojas serão descontinuados. A Samsung ainda não informou exatamente quais serão eles, mas a expectativa é que principalmente aqueles que passam longe da linha Galaxy em termos de design ou funcionamento sejam aniquilados das prateleiras.