Intel transforma San Jose, na Califórnia, em uma SmartCity

Por Redação | 15 de Junho de 2014 às 12h05
Tudo sobre

Intel

No ano passado, a Casa Branca lançou o desafio SmartAmerica com a intenção de mostrar que a "Internet das Coisas" tem o poder de beneficiar a sociedade norte-americana, não somente por meio da criação de novos postos de trabalho, ou como mídia informativa para as pessoas, mas também para desenvolver novas oportunidades de negócio.

A Intel foi uma das empresas que levaram o projeto a sério e aproximou-se do desafio criando a primeira SmartCity da América. San Jose, na Califórnia, está utilizando agora a Internet das Coisas para monitorar estatísticas vitais sobre o transporte, tráfego e qualidade do ar.

A Intel Smart City é a primeira iniciativa do tipo nos Estados Unidos. Para que o projeto funcione corretamente, a Intel instalou sensores em toda a cidade de San Jose. Estes sensores medem também a poluição atmosférica e da água, além do ruído, fluxo de tráfego, o uso de energia, comunicação e frequência e disponibilidade do transporte público. Essas informações certamente auxiliam na usabilidade de maneira correta dos recursos disponíveis para os habitantes.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os dados são compartilhados com funcionários do governo da cidade por meio de aplicativos móveis para melhorar o monitoramento da cidade. A ideia é ajudar as cidades a usar melhor os seus recursos e a sua infra-estrutura. Além disso, também tem a intenção de trazer benefícios socioeconômicos, incluindo 25.000 novos postos de trabalho relacionados com a tecnologia.

Como a Internet das Coisas reside na nuvem, a segurança é de extrema importância para a Intel. Por isso, a empresa está utilizando tecnologia para fortalecer seus servidores e gateways, além de se certificar que os dados e as informações não caiam em mãos erradas. À medida que esse projeto for ganhando novas cidades, a segurança será ainda mais fundamental para garantir que toda a tecnologia seja utilizada para o bem-estar da sociedade.

O programa lançado pelo governo norte-americano não se trata apenas de tornar as cidades mais inteligentes. A SmartAmerica quer melhorar a energia, a segurança, a produção, o clima, a construção civil, a saúde e até mesmo o processo de recuperação de desastres. Com os avanços tecnológicos recentes, mecanismos assim já são uma realidade e podem beneficiar, em um futuro próximo, bilhões de pessoas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.