Baixas vendas fazem IBM registrar queda de 21% nos lucros

Por Redação | 17.04.2014 às 13:57 - atualizado em 22.04.2014 às 15:34

A dificuldade no segmento de servidores e sistemas de armazenamento levou a IBM a registrar uma queda de 21% em seus lucros no primeiro trimestre de 2014. Segundo os números divulgados nesta quinta-feira (17), a empresa obteve ganhos totais de US$ 2,38 bilhões, ou US$ 2,29 por ação, um resultado bem abaixo do registrado no ano passado e que decepcionou analistas e investidores.

A expectativa era de ganhos na casa dos US$ 2,54 milhões e um valor de US$ 2,54 por cada ação da companhia. No total, eram esperados US$ 22,91 bilhões em faturamento de vendas, mas a companhia obteve US$ 22,5 bilhões, alegando que o declínio de seu segmento de hardware foi o principal responsável pela redução.

Os resultados, apesar de negativos, já eram esperados pela empresa. Como mostra o site ZDNet, o CFO Martin Schroeder ressaltou que a venda de boa parte de seus negócios de hardware para a Lenovo fazem parte do esforço para mudar tais resultados, otimizando a operação da companhia e permitindo que ela foque de maneira melhor em produtos que realmente ainda fazem sucesso entre os clientes.

Esse processo de reorganização também foi lembrado como parte importante dessa diminuição nos lucros, já que a companhia gastou US$ 870 milhões em demissões de funcionários e reestruturações internas. Com exceção do segmento de software, que apresentou crescimento de 5%, todos os outros setores da IBM estagnaram no período.

A IBM registrou queda de 11% na receita dos BRICS no 1º trimestre de 2014, mas os resultados da IBM Brasil, isoladamente, continuam crescendo ano a ano, reflexo do foco da companhia nas áreas de Cloud, Analytics, Social Business e Mobile. Na América do Norte a queda foi de 4%, enquanto na Ásia, foi de 12%. Na Europa a companhia apresentou expansão e, na somatória da região com a África e o Oriente Médio, o aumento foi de 4%.

Agora, a companhia foca na conclusão do processo de aquisição de seu negócio de servidores pela Lenovo e pretende investir em tecnologias de computação na nuvem. A tendência foi um dos destaques do relatório financeiro, pois apresentou crescimento de 50% e ultrapassou todas as previsões feitas pelos executivos da empresa.