Entenda o Caso Bettina, a jovem "Tia Patinhas" brasileira que virou meme

Por Thaís Augusto | 18 de Março de 2019 às 17h01
Reprodução / YouTube

Com colaboração de Rafael Rodrigues

"Oi. Meu nome é Bettina, eu tenho 22 anos e 1 milhão e 42 mil reais de patrimônio acumulado". Se você não esteve isolado em uma ilha nos últimos dias, provavelmente assistiu ou ouviu falar do novo comercial da Empiricus Research, empresa especializada em conteúdo financeiro.

A protagonista de cabelos loiros viralizou nas redes sociais com a propaganda em que aparecia no YouTube. Na ação publicitária, ela diz ter conseguido transformar R$ 1,5 mil em R$ 1,42 milhão no período de apenas três anos.

Nos dias seguintes, uma onda de questionamentos caiu sobre Bettina, sua fortuna e a própria Empiricus, que ainda publicou na sexta-feira (15) um vídeo rebatendo as críticas. Na gravação, Bettina lê comentários publicados na internet, a maioria dizendo que sua fortuna veio da família e até mesmo de um "namorado rico".

No final, encarando a câmera, ela reforça: "Oi. Meu nome é Bettina, eu tenho 22 anos, e começando com R$ 1.520 eu acumulei um patrimônio de mais de um milhão. Dependendo exclusivamente de mim mesma".

A internet, que não perdoa nada, acabou fazendo meme da situação, enquanto economistas de peso desmentiram a propaganda.

No Twitter, o economista Samy Dana, que comenta programas da Globo e da Globo News e tem um blog no portal de notícias da emissora, usou da ironia e de cálculos simples para questionar a veracidade da fala de Bettina.

Ele ainda brinca com a situação. "Será que se trata de uma tática maquiavélica para vender o YouTube Premium (versão paga que é sem anúncios)?”.

Na primeira propaganda, Bettina também conta que conseguiu seu primeiro milhão apenas com investimentos no mercado de ações, e diz que o feito poderia ser replicado de forma "simples, rápida e segura".

O economista Michael Viriato, professor de finanças do Insper e sócio fundador da Casa do Investidor, é colunista da Folha de S. Paulo e classificou o ganho de Bettina como irreal.

Ele explica que o suposto valor acumulado por ela equivale a um retorno de 69.367% no período (ou 19,93% ao mês). Só que investindo em títulos que remuneram a taxa DI de 6,4% ao ano, ela teria obtido o mesmo valor só daqui a 105 anos, a partir de um investimento de R$ 1.500.

Já o retorno do Ibovespa, o principal índice de ações do Brasil, foi de 123% em três anos. Bettina levaria 25 anos para conseguir a fortuna atual, considerando a média de retorno anual.

Ainda que, nos últimos três anos, ela acertasse todos os dias em que o Ibovespa apresentou variação positiva e não aplicasse em ações nos dias em que o índice caiu, sua rentabilidade no período seria 10 vezes menor.

Viriato ainda cita o investidor Warren Buffet, conhecido mundialmente por sua fortuna construída com investimentos e no mercado de ações. A média de retorno dele foi de 20,5% ao ano. Investindo como o milionário, Bettina teria levado mais de 35 anos para alcançar seu patrimônio atual.

Nos três anos mais favoráveis de Buffet, o retorno máximo que ele conseguiu não chegou a 300%.

Tia Patinhas?

Vamos imaginar que Bettina é tão bem informada que, desde que ela começou a investir, sabia de antemão quais seriam todas as empresas com as ações que mais valorizariam ao final de cada ano. No mundo real, isso é algo que sabemos ser impossível, mas consideremos a Bettina com um conhecimento e sabedoria além do real e a única pessoa no mundo capaz disso.

Assim, em 2016 (quando ela diz que começou a investir), os R$ 1.500 reais iniciais seriam investidos na Bradespar, que acumulou um crescimento de 199,92% durante o ano de 2016, o que transformaria os R$ 1.500 investidos pela Bettina em R$ 4.498,80.

Ela, então, usaria todo o seu conhecimento para, no ano seguinte, investir na Usiminas – que teve o maior crescimento de 2017 com 121,95%, o que transformaria o dinheiro da Bettina em R$ 9.985,08. A jovem aplicaria então toda essa grana em ações do Magazine Luiza em 2018, que foi a empresa que teve o maior crescimento na Bovespa ao longo do ano, com um aumento de 126,34%, o que transformaria os quase R$ 10 mil da jovem em R$ 22.606,22.

Mas consideremos que a Bettina não tenha investido apenas R$ 1.500 como ela diz – afinal, propagandas são vídeos curtos e a gente é muitas vezes obrigado a simplificar histórias tão complexas quanto as do mercado financeiro. Nossa heroína falava que investia o dinheiro do estágio em ações, então digamos que ela utilizou o salário de 10 meses de estágio – ou seja, 10 salários de R$ 1.500 – e, usando de seu conhecimento sobre-humano, ela aplicou esses R$ 1.500 nas dez empresas que mais valorizaram suas ações em 2016, e manteve essa ideia – investindo toda a grana adquirida nas dez empresas que mais tiveram suas ações valorizadas em 2017 e depois novamente em 2018.

Os cálculos do Canaltech apontam que os resultados seriam os seguintes:

Em 2016, Bettina investiria R$ 15 mil e ao fim do ano teria acumulado R$ 36.078. Já no final do ano seguinte, o montante se tornaria R$ 68.221,14 – ainda considerando um investimento de R$ 1.500 mensal.

Em 2018, o investimento de Bettina pularia para R$ 126.192,40 — uma ótima valorização, mas ainda beeeeem menor do que os mais de R$ 1 milhão que ela afirma ter conseguido.

Redes sociais

Bettina virou meme nas redes sociais. No Twitter, a "milionária" foi tão comentada que seu nome apareceu nos Trending Topics durante dois dias. Usuários ironizaram o comercial citando suas respectivas idades e comparando sua situação financeira com a da protagonista da Empiricus.

"Vamos lançar um app BetinAddBlock for YouTube", chegou a brincar um deles no Twitter.

Foi até criada uma conta chamada Bettina Sincera para zombar da propaganda.

Neste domingo (17), em entrevista para o site GaúchaZH, Bettina contou que vai aproveitar a fama para virar youtuber e estrear uma série sobre a sua vida, detalhando como acumulou mais de R$ 1 milhão aos 22 anos.

Como protagonista da propaganda, Bettina acabou sendo o principal alvo das redes sociais, mas não podemos esquecer do papel da Empiricus: a empresa já foi acusada de propaganda enganosa em 2017, quando a Apimec (Associação de Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais, responsável por regular a atividade de analistas e profissionais de investimento no Brasil.) suspendeu por 30 dias o registro de três de seus analistas.

A entidade acusou Felipe Miranda, um dos principais sócios da empresa, Gabriel Casonato e Bruce Barbosa de publicar material que induzia o investidor a acreditar no retorno garantido dos investimentos.

No ano passado, a Empiricus acabou desistindo de obter os Certificados Nacionais de Profissional de Investimento (CNPI), concedidos pela Apimec. Na época, Miranda disse que a companhia é apenas uma “publicadora de conteúdo”.

Fonte: G1, Infomoney e Exame

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.