O que é uma tromba d'água?

O que é uma tromba d'água?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 23 de Dezembro de 2021 às 17h00
Espen Bierud/Unsplash

A tromba d’água é um fenômeno meteorológico caracterizado por uma coluna de ar giratória sobre um corpo de água que condensa o vapor, sempre associado a nuvens de tempestade em sua base superior. Muitas pessoas confundem tromba d’água com um tornado por conta de seu formato de funil, mas esta é a única característica em comum entre os dois.

As trombas de água são comuns nas regiões tropicais do planeta, embora também ocorram em zonas temperadas. No Brasil, o fenômeno é frequentemente confundido com a cabeça d’água, esta que na verdade é um aumento repentino no nível das cachoeiras e rios após uma intensa chuva, mas ambos não têm relação.

O que é tromba d’água

A tromba d’água pode ser encarada como um funil formado por um intenso vórtice que ocorre sobre a extensão de um corpo de água — mar e rios — e que raramente provoca destruição. A duração do fenômeno é pequena, a maioria dura apenas cinco minutos.

Uma série de trombas d'água não-tornádicas próximas à costa de Haia, a oeste dos Países Baixos (Imagem: Reprodução/Domínio Público)

Seus ventos podem atingir velocidades de até 100 km/h. No mar, essas trombas podem ameaçar embarcações dependendo de sua classificação.

Existem dois tipos de trombas d'água:

  • Tromba não-tornádica: ocorre em regiões costeiras, são fracas e são o tipo mais comum de tromba. Elas também duram poucos minutos, com um ciclo de vida que não passa dos 20 minutos;
  • Tromba tornádica: este tipo é mais intenso e pode oferecer algum nível de destruição por onde passa, mas ainda bem menos do que um tornado é capaz provocar. Isso acontece porque o fenômeno está associado a tempestades severas — assim como os tornados estão.

O fenômeno meteorológico pode surgir tanto sobre a água (o que é mais comum) e se descolar para a terra quanto o contrário, nascendo no continente e se movendo em direção a um corpo d’água, onde eventualmente ganhará mais umidade e alimentará suas nuvens.

Uma tromba d'água tornádica associada a uma intensa nuvem de tempestade na costa da Flórida (Imagem: Reprodução/Domínio Público)

Ao contrário do que muita gente pensa, uma tromba d’água não se trata de uma torrente de água descendo do céu. Na verdade, o que existe no funil é vapor de água condensado, seja das nuvens associadas a ele ou da superfície. Apesar de sua aparência, o fenômeno não provoca grandes destruições.

Como se forma a tromba d’água

As trombas d’água se formam quando ventos quentes e frios em direções opostas se encontram — e vários deste fenômeno podem se formar sobre um mesmo corpo de água. Ao longo da região de encontro, conhecida como linha de convergência ou de cisalhamento, existe muito ar em rotação próximo à superfície.

A tromba d'água se forma quase da mesma maneira que um tornado, mas em uma escala bem menor (Imagem: Reprodução/The Weather Center)

A única saída dessa convergência é se mover para cima. À medida que o ar ascende, ele carrega junto de si o vapor de água para o alto, onde normalmente surgem as chuvas e tempestades. Em determinado momento, a linha de cisalhamento se inclina para uma posição vertical, formando a característica tromba.

Quando o vórtice vertical atinge um corpo de água, ele passa a sugar gotículas de água para dentro da tromba que eventualmente precipitam quando alcançam a base superior. Impulsionado pelas rajadas de vento da baixa atmosfera, o fenômeno avança em direção ao continente.

As trombas d'águas têm seus ciclos de vida definidos em cinco estágios principais (Imagem: Reprodução/Isidoor/Pexels)

Nos locais por onde a tromba d’água passa, uma breve chuva intensa pode cair sobre seu ponto de contato com o chão. Sua tempestade não provoca inundações, uma vez que essa precipitação é liberada ao longo de seu trajeto e não em um único local.

Ciclo de vida da tromba d'água

As trombas d’água tornádicas são as mais intensas e apresentam um ciclo de vida demarcado em cinco estágios principais:

  • Estágio 1: surge um disco sobre a superfície da água, chamada mancha escura;
  • Estágio 2: o padrão de espiral formado pela linha de cisalhamento começa a surgir;
  • Estágio 3: nessa fase, um anel denso de spray de água, conhecido como cascata, aparece ao redor da mancha escura — parecido com o olho de um furacão, mas em uma escala bem menor;
  • Estágio 4: é quando a tromba d’água já aparece bem visível desde a superfície até as nuvens, marcando o seu ponto de maior atividade. O vórtice pode se erguer a uma altura de centenas de metros e pode criar ondulações no corpo de água conforme se desloca;
  • Estágio 5: nessa etapa o fenômeno começa a perder sua força, portanto a tromba e o vórtice de pulverização começam a se dissipar uma vez que o fluxo de ar quente também diminui.

Diferença entre tomba d'água e cabeça d'água

É muito comum que as pessoas confundam a tromba d’água com cabeça d’água, mas além de serem fenômenos distintos, eles não possuem nenhuma relação entre si.

A cabeça d'água é um fenômeno natural que ocorre em uma cachoeira após intensa chuva na cabeceiro do rio (Imagem: Reprodução/Unsplash/Jonathan Borba)

Quando ocorre uma forte precipitação no topo de um rio, seu volume de água aumenta rapidamente, seguindo seu curso de maneira intensa como uma cabeça de água empurrando tudo em seu caminho.

Este fenômeno é muito comum no verão, quando as chuvas se intensificam e pode ser perigoso — e até mesmo fatal — para banhistas desatentos em cachoeiras e rios, pois a força de uma cabeça d’água pode facilmente arrastá-los pela correnteza.

A tromba d'água, além de se formar majoritariamente sobre o oceano, não produz chuva suficiente para produzir uma cabeça d'água em um rio (Imagem: Reprodução/Domínio Público)

Um banhista pode estar em um trecho do rio, mais abaixo, onde não esteja chovendo, mas desde que chova na cabeceira deste curso de água já é o suficiente para um aumento repentino em seu volume.

Portanto, a tromba d'água é um vórtice intenso de ar, e a cabeça d'água não passa de um grande volume de água produzido pela chuva na cabeceira de um rio ou cachoeira.

Fonte: NOAA (1, 2), The Weather Center

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.