Qual a diferença entre ciclone, tornado e furacão?

Qual a diferença entre ciclone, tornado e furacão?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 13 de Dezembro de 2021 às 16h35
NOAA

Qual a diferença entre ciclone, furacão e tornado? Ciclone, tornado e furacão são todos fenômenos atmosféricos que envolvem o deslocamento entre massas de ar frio, quente além das zonas de baixa pressão, mas, embora possam parecer sinônimos de um mesmo evento, eles se diferenciam a partir de sua força e local de formação.

Para saber exatamente qual a diferença entre tudo isso, é necessário olhar para suas principais características como tamanho, velocidade dos ventos e, principalmente, o local de onde surgem bem como o tempo de duração.

O que é ciclone?

Ciclone é um termo genérico para qualquer fenômeno atmosférico que envolva ventos fortes e violentos que se formam em áreas de baixa pressão próximas à superfície. Portanto, furacão e tornado são tipos diferentes de um ciclone.

Enquanto a área de baixa pressão próxima à superfície desloca o ar quente para cima, a área de alta pressão ao redor empurra o ar frio para dentro do sistema (Imagem: Reprodução/NASA)

Por exemplo, a principal diferença entre um ciclone e furacão se dá pela força e tamanho do fenômeno. Ambos são formados em centros de baixa pressão atmosférica e estão associados à formação de nuvens e tempestade.

De acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA, na sigla em inglês), o ciclone é um fenômeno que incluiu um sistema rotativo de nuvens, além de tempestades e pode surgir tanto sobre as águas tropicais e subtropicais.

A área de baixa pressão funciona como uma espécie de catalisador deste sistema, onde o ar circundante é empurrado para o centro, tornando quente e úmido. A partir daqui, esse ar sobe e, uma vez no topo do ciclone, ele resfria e desce — daí por diante essa dinâmica se repete conforme mantém o fenômeno ativo.

O que é tornado?

Por se tratar de um fenômeno com um movimento de ar giratório, tornado também é um tipo de ciclone. No entanto, ele é caracterizado por uma área bem menor de influência do que um furacão. Ainda assim, seus ventos podem atingir até 500 km/h ou até mais.

Visto do espaço, um tornado não apresenta um olho, uma das principais estruturas de um furacão, apenas a nuvem logo acima do sistema (Imagem: Reprodução/NASA/NOAA)

Além disso, o grau de destruição provocado por um tornado costuma sem bem maior, embora mais restrito, que o de um furacão, pois ele pode durar por mais tempo acima das áreas continentais.

Outra maneira de diferenciar o fenômeno é analisando como se forma um tornado de como se forma um furacão. Normalmente, o tornado está em contato tanto com a superfície quanto com uma nuvem cumulonimbus — e, às vezes, uma cumulus —, caracterizada por seu desenvolvimento vertical logo acima do sistema.

Ao contrário dos furacões que logo perdem a força quando atingem a terra, os tornados podem percorrer um bom caminho, deixando marcas como as tênues linhas na imagem, registradas no Mississsipi em 2020 (Imagem: Reprodução/NASA)

Ainda, um tornado, em comparação com um furacão, é pequeno. Ele não passa dos 2 km de diâmetro e seus ventos variam entre 100 a 480 km/h — às vezes, acima de 500 km/h —, durando apenas algumas horas.

O que é furacão?

Todo furacão, também chamado tempestade tropical, surge a partir de um ciclone. Portanto, ele se trata de um fenômeno atmosférico onde um grande sistema de ar em circulação produz uma força enorme em comparação a um tornado, além do tamanho e efeitos nas áreas ao seu redor.

A circulação dos fortes ventos de um furacão logo dão origem a uma de suas principais características, o olho do furacão (Imagem: Reprodução/NASA)

Diferentemente dos tornados, que podem surgir também sobre os continentes, os furacões nascem de ciclones que se alimentam das águas quentes tropicais, onde a temperatura é maior que os 26 °C. Conforme avançam sobre essas águas, o sistema é alimentado e ganha mais força.

Apenas quando este ciclone tropical supera os 119 km/k é que ele passa a ser classificado como um furacão e, então, classificado a partir de categorias que vão de 1 a 5, a depender de sua força e extensão, que pode atingir até 1.500 km de diâmetro.

Uma informação interessante para distinguir um tornado de um furacão é que o furacão pode ser observado a partir do espaço; afinal, ele é um fenômeno meteorológico de grande extensão. Já um tornado se confunde com as nuvens se visto assim tão do alto.

Os furacões são classificados em cinco principais categorias (Imagem: Reprodução/NASA)

Vale destacar outra nomenclatura para este fenômeno. Enquanto os que nascem sobre o Oceano Atlântico são chamados furacões, os que surgem acima do Pacífico são denominados tufões — e aqui a única diferença entre eles é seu local de origem, pois a dinâmica e a estrutura são as mesmas.

Quando furacões atingem os continentes, logo perdem sua força, pois deixam de se influenciar pelas águas quentes dos trópicos. Ainda assim, o estrago causado nas regiões circundantes é catastrófico, uma vez que é acompanhado por um grande volume de precipitação. Antes disso, eles podem durar por vários dias — ao contrário dos tornados, que duram questão de horas.

Fonte: NASA; NOAA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.