A maior frente fria do século está vindo? Não é bem assim. Entenda!

A maior frente fria do século está vindo? Não é bem assim. Entenda!

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 26 de Julho de 2021 às 14h10
jirkaejc/Envato

A partir desta terça-feira (27), uma nova massa de ar frio polar avançará sobre o centro-sul do Brasil, derrubando mais uma vez as temperaturas até o próximo sábado (31). E, embora algumas manchetes afirmem que esta pode ser a onda de frio mais intensa do século, especialistas em meteorologia esperam, na verdade, por um frio tão forte quanto o de semana passada, ou pouco mais intenso — com chances, sim, de ser a onda fria mais intensa deste ano, mas parece exagero prever que será a onda mais fria do último século.

De acordo a Climatempo, uma nova frente fria começa a avançar sobre o sul do Brasil, estendendo-se até a região central do país e trazendo chuvas e baixas temperaturas a várias cidades brasileiras. O que deixa esse frio ainda mais intenso é a massa de ar frio polar vindo em seguida, com forte risco de geada para cidades de estados como Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além de algumas áreas de São Paulo, Mato Grosso do Sul, de Minas Gerais e o extremo sul do Rio de Janeiro.

(Imagem: Reprodução/StockSnap/Pixabay)

De modo geral, as previsões do tempo são geradas a partir de complexos modelos atmosféricos, que integram diferentes dados e fazem simulações para os próximos dias. Meteorologistas vêm acompanhando as últimas simulações e, no caso dessa forte massa de ar frio, ela já foi identificada há mais de duas semanas; portanto, trata-se de um frio que já vinha sendo acompanhado. Por isso, previsões feitas com antecedência devem ser encaradas com cautela, considerando que se tratam de eventos extremos e há chances de as condições mudarem até lá.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Willians Bini, Head do Agronegócio, da Climatempo, explicou ao Canaltech que os modelos anteriores, em torno de uma semana, vinham indicando ora frente fria intensa, ora menos intensa, mas o mais importante é a consistência desse frio. Diante dessas variações nas simulações, não é possível afirmar que esta será a maior onda de frio do século, como estamos vendo ser noticiado por aí. Com isso, um alerta de que será um frio muito intenso foi emitido para setores como agricultura e defesa civil, pois, de um lado, a geada ameaça as plantações e, de outro, o frio pode ser mortal para pessoas que vivem nas ruas e longe de abrigos.

(Imagem: Reprodução/Rawpixel/Envato)

Conforme a frente fria avança, os modelos climáticos também se atualizam — e Bini ressalta: “Realmente vai ser um frio intenso, mas será o maior dos últimos 5 ou 10 anos? É difícil dizer agora”. As chances prováveis, segundo o diretor, é de que seja um frio tão intenso quanto o da semana passada, ou no máximo um pouco mais intenso do que aquilo. O que chama a atenção do público é que uma frente fria seguida de outra não é tão comum assim, ainda que não seja algo inédito. "As pessoas já estavam desacostumadas ao frio intenso e, principalmente, ondas seguidas de frio. Mas esse fato não é novidade dentro do histórico climático do Brasil", ressalta Bini.

Em outras palavras: para a frente fria desta semana, o centro-sul do Brasil pode esperar um cenário parecido com o de semana passada, incluindo geadas, temperaturas negativas nas regiões mais ao sul do país e, ocasionalmente, neve em algumas localidades onde as condições sejam mais propícias. No entanto, ainda é muito cedo para afirmar que esta é a maior “friaca” do Brasil neste século — então cuidado com afirmações sensacionalistas sobre o assunto!

Fonte: Climatempo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.