Esses foram os melhores livros que Bill Gates leu em 2018

Por Rafael Rodrigues da Silva | 10 de Dezembro de 2018 às 22h30
Divulgação

Além de ser conhecido como o homem que revolucionou a informática (e que agora quer curar a malária), Bill Gates é um ávido leitor (ele diz ler pelo menos um livro por semana), e regularmente posta em seu blog dicas de livros dos mais diversos assuntos para seus seguidores.

Nesta semana, Bill resolveu compartilhar quais foram os cinco melhores livros que ele leu em 2018, chamando as cinco obras de não-ficção de "um presente perfeito para o final de ano". E, com temas que variam desde técnicas para meditação até estudos sobre armas autônomas, pelo menos uma das dicas de leitura de Bill deverá interessar à maioria das pessoas.

Bad Blood: Fraude Bilionária no Vale do Silício

Escrito por John Carreyrou, o livro narra a história da Theranos, uma startup de testes sanguíneos que enganou investidores, pacientes e parceiros comerciais ao vender para eles uma tecnologia que nunca funcionou.

A empresa foi fundada em 2003 por Elizabeth Holmes (então com apenas 19 anos) que alegava ter inventado uma nova tecnologia para análise sanguínea que utilizava quantidades de sangue bem menores do que as necessárias atualmente. A fraude foi descoberta apenas em 2016, e Holmes foi condenada a dez anos de prisão em junho de 2018.

Segundo a recomendação de Bill Gates, o livro é ao mesmo tempo um conto preventivo sobre as virtudes de uma celebridade e uma lição sobre o estilo de negócios criados pelo Vale do Silício.

Army of None

Escrito por Paul Scharre, Army of None (ainda sem tradução para o português) utiliza o cenário atual de armas autônomas e o desenvolvimento acelerado de IA para defender que, no desenvolvimento de armas, não deixemos os computadores tomarem todas as decisões, mas combinar os algoritmos da IA com nosso próprio julgamento para que a decisão de quando o gatilho será pressionado seja sempre tomada por um humano.

Gates afirmou que o livro preencheu um “vazio” que ele tinha em sua educação, e que é a obra perfeita para todos aqueles que se preocupam com como o desenvolvimento de IAs cada vez mais avançadas poderá afetar a indústria bélica.

Educated: A Memoir

Escrito por Tara Westover, Educated (ainda sem tradução para o português) tem a autora relatando suas memórias como alguém que foi criada em uma comunidade isolada Mórmon, e as influências de ter crescido em uma casa onde o pai era um teórico da conspiração que acreditava que o mundo iria acabar a qualquer momento.

O livro conta uma história de trauma, separação e autodescobrimento, e também toca na polarização atual dos Estados Unidos, que põe em conflito estados Democratas e Republicanos, áreas urbanas e rurais, e pessoas com formação acadêmica contra aquelas que nunca cursaram uma universidade.

Bill Gates revela que, quando teve a oportunidade de conversar com Tara (que cursou a Universidade de Cambridge com uma bolsa cedida pela Fundação Gates, algo que Bill só foi descobrir quando leu o livro), a autora compartilhou com ele a preocupação de que as pessoas estavam usando o diploma como um bastão para bater naqueles com menos estudo e torná-las submissas, e não como o mecanismo de conexão e equilíbrio entre diferentes povos que ela acredita que a educação possa ser.

21 Lições para o Século 21

Escrito por Yuval Noah Harari, Gates revela que o mais recente livro do historiador e professor israelense possui um nome enganoso, já que Harari evita ficar dando receitas do que fazer ou não fazer. Ao invés disso, o historiador pede para as pessoas praticarem técnicas de meditação quando em face dos problemas mais difíceis de se solucionar, como o terrorismo e a distribuição de renda.

Ainda que Gates não concorde com algumas ideias defendidas pelo professor — como o fato de as mídias sociais serem a principal responsável por nosso atual momento de polarização política — ele abraça a ideia de que devemos sempre tentar manter a calma frente aos piores problemas que devemos enfrentar, e que devemos sempre estar atentos para não acharmos que nossa situação é melhor ou pior do que realmente é.

The Headspace Guide to Meditation and Mindfulness

Escrito por Andy Puddicombe, um monge budista ordenado, a última recomendação de Bill Gates traz provas concretas, atestadas por experimentos científicos, de por que a meditação é uma ferramenta tão poderosa para nos ajudar a eliminar as distrações de nossas vidas.

Além de escritor, Puddicombe é também co-fundador do Headspace, um aplicativo de meditação que conta com guias animados, artigos e vídeos sobre a prática.

Gates afirma que o autor foi o responsável por transformá-lo de um cético a alguém crente no pode da meditação, e afirma que no momento atual de sua vida a prática é uma ferramenta muito importante para não perder o foco nas coisas que realmente importam.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.