Publicidade

Regulamentar IAs é crucial, diz criador do ChatGPT

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Maio de 2023 às 11h37

Link copiado!

Rawpixel/Envato
Rawpixel/Envato

O CEO da OpenAI, Sam Altman, disse estar nervoso com o uso do ChatGPT e outras IAs para interferir no processo eleitoral. O executivo também voltou a pedir regulamentação para as IAs, algo que considera indispensável para evitar problemas com “tecnologias assustadoras”. As falas de Altman foram em uma reunião realizada no Senado dos EUA na terça-feira (16)

A preocupação se intensifica no congresso estadunidense diante da proximidade com as eleições de 2024 e a senadora Mazie Hirono, por exemplo, lembrou o caso das fotos falsas do ex-presidente Donald Trump sendo preso. A parlamentar perguntou se Altman consideraria isso algo prejudicial para a sociedade. O executivo respondeu que os criadores devem deixar claro quando uma imagem é gerada em vez de artificialmente.

Continua após a publicidade

Regulamentação de IAs é necessária

O maior temor de Altman e de críticos é que os chatbots potencializem danos sociais já comuns na internet, como a disseminação de fake news, preconceitos e desinformação. Recentemente, um empresário foi preso na China após admitir ter usado o ChatGPT para criar uma notícia falsa sobre um acidente de trem.

No seu depoimento por escrito, o CEO da OpenAI defendeu requisitos de licenciamento ou registros para IAs conforme os recursos oferecidos. Dessa forma, órgãos reguladores dos EUA poderiam exigir que empresas cumpram protocolos de segurança e submetam seus sistemas a testes antes do seu lançamento público.

Uma das ideias que pode prosperar é a criação de uma agência de licenciamento para IAs. Seria uma forma de controlar a produção e limitar riscos do uso indevido dessa tecnologia. O CEO acredita que isso seria fundamental para os EUA, afinal a maior parte das empresas do segmento é de lá.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia
"Acreditamos que a intervenção regulatória dos governos será crucial para mitigar os riscos de modelos cada vez mais potentes", avaliou o empresário.

Outros executivos do segmento também foram convidados a falar sobre o futuro das IAs. O propósito do Congresso é mitigar problemas antes do período eleitoral, quando essas tecnologias poderiam se tornar uma arma perigosa nas mãos de pessoas mal intencionadas.

"Um dos meus maiores medos é que nós, esta indústria, esta tecnologia, causemos um dano significativo à sociedade", disse. "Se esta tecnologia for pelo caminho errado, pode ir muito longe (...) E queremos trabalhar com o governo para evitar que isto ocorra", concluiu Altman.