Review Elgin Smart Color | Uma lâmpada inteligente boa e barata

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 03 de Janeiro de 2022 às 17h47
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

A lâmpada Smart Color, da Elgin, é um dos produtos que considero ideais para iniciar uma casa inteligente. Considero isso devido a ela ser uma das partes mais baratas do processo, além de ajudar a avaliar se você realmente precisa desse tipo de automação no seu dia a dia.

Com disponibilidade de conexão através do Wi-Fi e controle por voz, ela facilita a vida em situações em que já estamos deitados na cama (e não queremos levantar para apagar a luz), ou até mesmo para acionamento remoto quando vamos chegar tarde em casa.

Pude testá-la por dois dias direto e venho trazer a minha opinião sincera e te explicar o porque esse tipo de produto pode ser grande aliado para a sua rotina. Confira na nossa análise.

Confira ofertas para a Elgin Smart Color

Lâmpada Elgin Smart Color (Imagem: Ivo/Canaltech)

Prós

  • Bivolt
  • RGB
  • Integração com assistentes pessoais (Google e Alexa)

Contras

  • Algumas cores e tonalidades não possuem o brilho adequado

Visual e Especificações

A lâmpada Elgin Smart Color tem aspecto semelhante a uma lâmpada normal. Digo isso, pois ela tem exatamente a mesma aparência que uma lâmpada de LED comum, ficando a diferença perceptível somente depois de configurada e em funcionamento. A fabricante também disponibiliza luminárias inteligentes em seu catálogo de produtos “smart”.

Com potência de 10 W, ela é ideal para ser usada em ambientes menores, como banheiros e quartos, por exemplo. Por ser RGB, é possível modificar as cores para frias ou quentes, servindo para praticamente qualquer local. Seu preço aproximado é de R$ 55, uma das mais baratas da categoria.

Seu lado “smart” é percebido através da conexão Wi-Fi (2,4 GHz), app próprio — disponibilizado na Play Store e App Store — para instalação e possibilidade de utilização de comandos de voz.

Ela também é bivolt, podendo ser utilizada em redes elétricas de 110 V ou 220 V. O soquete para instalação é do tipo E27, mais comumente usado em nossas casas.

Lâmpada Elgin Smart Color na cor verde (Imagem: Ivo/Canaltech)

Conectividade

Como dito anteriormente, a conexão com o app próprio é feita através do Wi-Fi na frequência de 2,4 GHz. Logo, caso exista um roteador configurado apenas para a banda de 5 GHz presente, vale prestar atenção na hora da instalação, já que a lâmpada não conseguirá se conectar.

O processo todo é bastante simples. Basta baixar o app próprio da Elgin e seguir o passo a passo mostrado na tela. Eu consegui finalizar o processo em menos de 5 minutos e já tinha acesso a todas as configurações necessárias.

Através dele é possível realizar o acionamento remoto da lâmpada, sendo essa uma das principais praticidades que as lâmpadas inteligentes entregam.

Lâmpada Elgin Smart Color na cor rosa (Imagem: Ivo/Canaltech)

Já no processo com os assistentes pessoais, tenho algumas ressalvas a serem feitas. Tive bastante dificuldade em conectar a Smart Color na Alexa.

O passo a passo não era muito claro e objetivo, e a skill oferecida pela fabricante na loja da Amazon também não ajudou no processo. Acabou que eu precisei gastar um tempo considerável tentando descobrir como fazia tudo.

No final, eu consegui concluir e utilizar os comandos por voz, mas devo dizer que me decepcionei nessa parte. Com o Google Assistente, já foi diferente e bem mais simples, logo, acredito que isso seja um ponto que a Elgin deveria melhorar.

Experiência de Uso

A melhor maneira que achei para testar a Smart Color foi colocando ela em meu quarto. Tenho a péssima mania de deitar na cama e não apagar a luz, sendo sempre necessário me levantar para isso.

Logo, assim que peguei a lâmpada, fiz a instalação nesse cômodo e configurei o aplicativo e o Google Assistente no celular para conseguir controlá-la dessas duas formas.

Algo que me agradou bastante foi o app próprio estar 100% traduzido para o nosso idioma, facilitando a configuração e utilização dela durante o processo.

Bastou realizar a instalação no soquete, ligá-la pelo interruptor, seguir as instruções passadas na tela e pronto. Em pouco menos de 5 minutos já estava tudo certo e pronto para o uso.

Inclusive, não que eu considere isso algo negativo, mas o aplicativo usado pela Elgin é exatamente o mesmo utilizado em outra lâmpada que já analisamos aqui, a Smarteck. O ponto Positivo é que as facilidades continuam e que tudo funciona sem problemas.

Existem cenários pré-configurados para diferentes ocasiões, tais como a leitura, trabalho ou somente para relaxamento. Para acessá-las, basta selecionar a opção pelo celular ou solicitar à sua assistente pessoal.

A lâmpada Elgin Smart Color pode ser controlada através do app próprio e assistentes pessoais (Imagem: Ivo/Canaltech)

Você pode selecionar combinações de cor e intensidade de acordo com essas atividades, rapidamente ajustando os detalhes da iluminação do ambiente para tornar mais confortável sua atividade naquele momento.

Assim como todas as lâmpadas smart que testei nos últimos tempos, as cores sempre possuem as mesmas características. O branco é sempre a cor que mais ilumina entre todas, enquanto as coloridas acabam sendo mais fracas, algo naturalmente esperado.

Seguindo para a parte prática do teste, consegui desligar e ligar a lâmpada através do comando de voz e do app tranquilamente. Assim que me deitei, solicitei o desligamento da Smart Color e fui dormir.

Aproveitei a possibilidade e programei para que ela voltasse a funcionar às 07h30 de forma suave, para que eu acordasse mais tranquila no processo.

Concorrentes Diretos

Os principais concorrentes da Elgin são as lâmpadas da Positivo e Philips. Começando pela fabricante brasileira, o modelo Smart Lâmpada Wi-Fi também tem os mesmos 10 W entregues pela Smart Color. Ela também é bivolt e pode ser instalada em redes 110 V ou 220 V.

Já a Philips Hue é uma outra opção dentre as lâmpadas inteligentes. A principal diferença dela em relação às demais é a necessidade da compra de um HUB da própria fabricante — HUE Bridge — já que ela não possui conexão através do Wi-Fi. Outra característica não tão boa é que ela, diferente das demais, não é bivolt.

Ressaltando que a única marca concorrente que tem lâmpadas inteligentes em 12 W até o momento da publicação dessa análise é a Positivo. Já a Philips, está abaixo dessa potência.

O preço desses modelos variam entre R$ 85 a R$ 260, aproximadamente.

Conclusão

A utilização de lâmpadas inteligentes tem se mostrado cada vez mais útil nos dias de hoje. Quem não gosta da praticidade de poder acender e apagar suas luzes sem, necessariamente, estar ao lado do interruptor? Ou até mesmo acioná-las remotamente?

A Elgin mostra ao que veio quando entrega todas essas funções sem nenhuma dificuldade. A sensação de desligar a minha casa com um simples comando de voz é excelente. Tenho outras lâmpadas instaladas e sempre faço uso dessas funcionalidades durante meu dia.

Logo, posso afirmar que a Elgin Color é uma ótima aquisição para quem pretende começar a ter sua residência “inteligente” sem gastar muito.

Lâmpada Elgin Smart Color (Imagem: Ivo/Canaltech)

Confira ofertas para a Elgin Smart Color

Confira ofertas para a lâmpada Smart Wi-Fi da Positivo

Confira ofertas para a lâmpada Philips HUE