Em audiência no Congresso dos EUA, Sundar Pichai é atacado logo na 1ª pergunta

Por Stephanie Kohn | 29 de Julho de 2020 às 20h31
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Nesta quarta-feira (29), líderes das quatro maiores empresas de tecnologia do mundo, Google, Apple, Amazon e Facebook, prestaram depoimento no Subcomitê do Poder Judiciário do Senado dos EUA em Política Antitruste, Política de Concorrência e Direitos do Consumidor (House Judiciary Antitrust Subcommittee).

As companhias estão sendo investigados pelo poder que exercem no mercado e estão respondendo perguntas difíceis sobre seu suposto domínio no setor, como esta: "Por que o Google rouba conteúdo de empresas honestas?"

A questão direcionada a Sundar Pichai deu início à entrevista com o CEO da gigante de buscas e surgiu após um membro do comitê revelar que havia conversado com várias pequenas empresas que alegaram que o Google havia "roubado" conteúdo delas.

Pichai evitou a pergunta dizendo que ele discordava, mas o tiro de abertura revelou algumas das informações que a investigação de um ano do comitê havia desenterrado. "Não concordo com a caracterização dessa afirmação", disse.

"A maioria dos americanos acredita que, ao iniciar uma pesquisa no Google, o que ele mostra são os resultados mais relevantes", afirmou David Cicilline, membro do comitê. "Mas cada vez mais o Google mostra apenas o que é mais lucrativo para ele mesmo", completou.

Pichai, por sua vez, disse que a empresa "sempre foca em fornecer aos usuários as informações mais relevantes."

Cicilline também levantou alegações do Yelp de que o Google havia ameaçado retirar o site de seus resultados de busca. Ele referenciou um relatório recente de que a companhia favoreceu seus próprios produtos nas pesquisas.

"Não existe um conflito de interesse fundamental entre atender usuários que desejam acessar as melhores e mais relevantes informações e o modelo de negócios do Google, que incentiva a empresa a vender anúncios e manter os usuários em seus próprios sites?" perguntou o acusador.

O membro do comitê ainda comentou que, quando o Google se tornou a porta de entrada da internet, passou a "abusar de seu poder" e a usar dados de tráfego "para identificar ameaças competitivas e esmagá-las."

Estes foram os primeiros momentos em que os quatro CEOs tiveram uma noção de que tipos de perguntas surgiriam - e a prova de que o comitê havia feito sua lição de casa.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.