Apple vence recurso em processo de US$ 506 milhões por infração de patente

Por Carlos Dias Ferreira | 01 de Outubro de 2018 às 08h01
Reprodução
Tudo sobre

Apple

A Apple venceu recentemente um recurso relativo a um processo milionário movido pela Wisconsin Alumni Research Foundation (WARF). A associação vinculada à Universidade de Wisconsin acusava a Maçã de infringir patentes na arquitetura dos SoCs A7, A8 e A8X.

Embora a quantia originalmente demandada a título de reparação de danos em 2014 fosse de US$ 400 milhões, o valor determinado em outubro de 2015 pela Justiça dos EUA ficou em US$ 234,2 milhões. Posteriormente, um tribunal distrital do país enxergou no uso reiterado das patentes novas infrações, atualizando o montante a ser pago pela Apple para US$ 506 milhões.

De acordo com a Wisconsin Alumni Research Foundation, a Maçã fez uso indevido de diversas patentes associadas ao processamento especulativo em seus processadores. Trata-se de um tipo de processo no qual um circuito executa instruções com base em uma “previsão” baseada em sequências de comandos emitidas pelo processador.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para o tribunal responsável pela apelação, entretanto, não haviam evidências suficientes que pudessem destacar quaisquer infrações por parte da Apple. Anteriormente, a companhia chegou até mesmo a procurar o Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos para pedir uma revisão dos registros concedidos à WARF. O pedido, entretanto, foi negado pela instituição.

Segundo a Universidade de Wisconsin, a Apple utilizou indevidamente patesntes relacionadas a processamentos especulativos na manufatura dos chips A7, A8 e A8X. (Imagem: reprodução/Apple).

Os advogados da universidade, entretanto, afirmam que não apenas a Apple infringiu as patentes como também as mencionou nominalmente em seus próprios pedidos arquivados no referido escritório, recusando-se a requerer uma licença para utilização de propriedade intelectual. Atualmente, um novo processo da WARF relacionado aos novos processadores da marca está em processo de adjudicação; o mesmo juiz responsável por estipular os US$ 506 milhões aguarda a finalização das apelações atuais antes de tomar uma nova decisão.

Vale lembrar que a Wisconsin Alumni Research Foundation utilizou essa mesma patente para forçar a Intel a um acordo em 2008. Em processo idêntico, a instituição de pesquisa afirmara que sua propriedade intelectual havia sido violada na produção das CPUs Core 2 Duo da fabricante.

Fonte: Apple Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.