Kodak perde guerra de patentes contra Apple e RIM

Por Redação | 23.07.2012 às 13:45

A Kodak afirmou neste último domingo (22) que está planejando entrar com um recurso pelo Tribunal de Apelação dos EUA, para o Circuito Federal, em Washington, DC. Isso porque a empresa acredita que RIM e Apple teriam violado os direitos da Kodak, na chamada "patente 218, que cobre a maneira como as câmeras digitais previsualizam imagens". Com uma possível comprovação de quebra de patentes, a Kodak receberia cerca de 1 bilhão de dólares das duas empresas.

O problema é que, no último dia 21 de maio, a Comissão Internacional de Comércio dos EUA confirmou a decisão do juiz Thomas Pender, alegando que nem a Apple nem a RIM violaram os direitos da Kodak.

"A validade da patente 218 foi mantida no processo anterior, na Comissão Internacional de Comércio, e foi afirmada pelo Escritório de Patentes e Comércio dos EUA, em face de dois desafios distintos", afirmou um porta-voz da Kodak. "Estamos confiantes que sua validade será finalmente julgada procedente".

A Kodak entrou com um pedido de proteção de falência em 19 de janeiro. Segundo a Reuters, os processos de patentes têm sido parte importante da estratégia da empresa nos últimos anos, a fim de gerar receitas. Os produtos julgados por quebra de patente incluem o iPhone, da Apple, e o Blackberry, da RIM.

No mês passado, a Kodak ganhou permissão do Tribunal de Falências para vender mais de 1.100 patentes de imagem digital, cerca de um décimo de seu portfólio de patentes, para ajudar a reembolsar os credores enquanto muda seu foco de negócios para produtos de impressão. Tal portfólio gerou mais de 3 bilhões de dólares em receita, desde 2001.

A Kodak informou que espera realizar a audiência até o início do mês que vem.