Id Software poderia não existir sem versão recusada de Super Mario Bros. 3 de PC

Id Software poderia não existir sem versão recusada de Super Mario Bros. 3 de PC

Por Guilherme Sommadossi | Editado por Bruna Penilhas | 13 de Julho de 2021 às 19h07
Reprodução/Andrew Borman (@Borman18)

Antes de cravar uma marca na indústria de videogames com Quake e DOOM, a Id Software teve uma franquia de jogos de plataforma: Commander Keen. O game não é um dos mais lembrados — e outro detalhe que poucos sabem é que ele nasceu a partir de uma versão rejeitada de Super Mario Bros. 3 para PC.

O The Strong National Museum of Play, de Nova York, recebeu uma cópia da adaptação do clássico de Nintendinho (Nintendo Entertainment System, ou NES) e agora ele pode ser apreciado pelos visitantes. O game foi doado ao museu junto com outros títulos variados, por uma pessoa que não quis se identificar, mas que não tinha envolvimento com a criação.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Antes do 3D

A demo de Super Mario Bros. 3 para PC foi criada em setembro de 1990, quando a grande desenvolvedora de games ainda era chamada de Idea From the Deep. Em uma semana de trabalho, com turnos após o expediente normal e aos finais de semana, John Romero e a equipe criaram a demo praticamente do zero. Como base, usaram os códigos de movimentação de Dangerous Dave.

Dangerous Dave é um game de plataforma criado pelo próprio Romero (Imagem: Divulgação/John Romero)

Depois de pronta, o time enviou sua criação para a Nintendo of America, que por sua vez enviou para a sede em Kyoto, no Japão. Mesmo impressionados, os líderes e executivos da Big N "não queriam sua propriedade intelectual em nada além de seu próprio hardware, então nos disseram 'bom trabalho, mas vocês não poderão fazer isso'", explicou Romero na legenda de um vídeo no Vimeo, de 2015.

Para não desperdiçar o trabalho, a equipe de desenvolvimento começou a trabalhar então em Commander Keen: Invasion of the Vorticons, o primeiro jogo da franquia.

Dois meses depois, em dezembro de 1990, lançaram o título e o motor gráfico idTech 1. Com a evolução da tecnologia, em 1992, 1993 e 1996 chegaram os primeiros Wolfenstein 3D, Quake e DOOM, para a alegria de muitos gamers até hoje.

Tela de Commander Keen: Invasion of The Vorticons (Imagem: Divulgação/Id Sofware)

Essa história é contada no livro e na série de TV Masters of Doom, que destaca as histórias de John Carmack e John Romero e todo o impacto da dupla na indústria dos videogames e na cultura pop.

Caso a Nintendo Japão tivesse dado a oportunidade de John Romero e os outros criadores reproduzirem o sucesso do encanador bigodudo nos computadores, será que a Id Software que conhecemos hoje seria a mesma? Deixe a sua opinião nos comentários. 

Fonte: GameSpot, John Romero (Vimeo)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.