Conheça o Stadia, novo serviço da Google para jogatina pesada sem consoles

Por Wagner Wakka | 19 de Março de 2019 às 13h33
Google
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

A Google apresentou nesta terça-feira (19) seu projeto voltado para games durante a Game Developers Conference. O anúncio acontece às 14h do horário de Brasília e vai contar com transmissão ao vivo pelo YouTube, oficialmente pela companhia.

A expectativa era de que a empresa revelasse seu serviço de streaming, o qual poderá usar processamento em nuvem para rodar jogos AAA apenas usando o Google Chrome.

Na segunda (18), a empresa revelou no hall do Centro de Convenções de São Francisco a logo do seu projeto. Ela carrega um S em formato que lembra o símbolo de propagação de ondas, geralmente usado para indicar que um aparelho está conectado à internet. Isso reforça a ideia de que o aparelho deva ser voltado a jogos em nuvem.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ainda, há um espaço para apresentação de um hardware, dando a entender que a Google vai mostrar também um novo aparelho de games. O Canaltech acompanhou o evento, veja as novidades:

Prazer, Stadia

A empresa começou apresentando o nome da sua nova plataforma gamer: Stadia. Ela não é um hardware, mas um serviço que vai usar processamento em nuvem para que jogadores possam aproveitar jogos apenas usando o Google Chrome, Chromecast e outras plataformas Android. Isso mesmo: zero consoles.

Jogador usando um Pixel Slate com Assassin`s Creed Odyssey (Foto: Cpatura/YouTube)

Segundo o CEO da companhia, Sundar Pichai, a ideia é unificar plataformas de quem joga com quem assiste, tudo via streaming, facilitando também para quem desenvolve jogos. Para isso, a empresa usa um sistema que une 7.500 nós de transmissão de dados em todo o mundo para diminuir latência. A plataforma vai permitir jogos AAA rodando em 4K e 60fps, mas a proposta é chegar em breve em 8K com 120 fps.

Controle da Google (Foto: Captura/YouTube)

A empresa também apresentou seu novo controle wireless que também já carrega um botão para compartilhar a transmissão via YouTube diretamente. O joystick também tem um outro botão já ligado com o Assistente — o qual pode ser controlado por voz, usando o microfone do próprio controle.

A Google também informou que o seu serviço vai funcionar diretamente com o Controle Adaptativo da Microsoft, voltado a pessoas com baixa mobilidade. No ano passado, a gigante dos games anunciou o periférico em uma campanha na qual enfatizava a importância de expandir seus games para deficientes.

Project Stream

A Google começou o Project Stream em outubro do ano passado com testes nos Estados Unidos usando Assassin's Creed Odyssey, da Ubisoft. Vários jogadores tiveram acesso ao sistema usando apenas o Chrome como plataforma.

Segundo Phil Harrison, engenheiro do Stadia, a ideia é que o jogador possa acessar games como o da Ubisoft apenas clicando em um link e carregando o início do jogo em “5 segundos”. “Barras de download como esta devem ser coisa do passado com o lançamento do Stadia”, brincou Harrison.

Os vídeos de trailers que forem para o YouTube terão no final um card com o qual usuários podem interagir para já começar a jogar, “sem download ou pacotes de atualização”, promete o engenheiro.

Capacidade

Embora a Google tenha testado o Stadia apenas com jogos em 1080p, o projeto será lançado já em 4K. Para isso, a empresa tem uma fazenda de computadores com capacidade de 10,7 teraflops de GPU, encabeçados por chips da AMD. Em comparação, o PlayStation 4 tem 4,2 teraflops, enquanto o Xbox One X alcança até 6,0 teraflops. “Nossa capacidade é maior que os dois atuais consoles mais potentes juntos”, diz Harrison.

Comparaçõa entre Stadia e consoles atuais (Foto: Captura/YouTube)

Com os 7.500 nós de conexão da Google, a empresa promete que vai entregar o serviço em 19 regiões do mundo, o que englobaria mais de 200 países e territórios. Contudo, nesta primeira leva, o serviço começaria a funcionar em testes apenas na América do Norte e Europa.

Compartilhamento

A ideia da plataforma também é facilitar com que influenciadores possam compartilhar suas transmissões. Para isso, a todo momento, o Stadia vai também vai criar um espelho do que o jogador está fazendo e gravar em tempo real, permitindo que ele utilize para edições futuras ou transmita ao vivo.

Junto disso, haverá também um botão que o influenciador pode criar para convidar jogadores para sua partida apenas com um link. Tal qual acontece em convites para Hangouts ou edição em um arquivo no Drive, o jogador poderá entrar em uma partida apenas acessando a aba no Chrome ou recebendo permissão por e-mail.

Botão de compartilhamento de jogo (Foto: Captura/YouTube)

“Antigamente, era preciso ligar o console, ir nas configurações, montar um grupo e, então, jogar junto. Aqui, é apenas um clique”, ressalta Harrison.

Outra novidade em termos de compartilhamento é o chamado State Share. Aqui, uma pessoa vai poder salvar seus dados em qualquer momento de uma partida, mantendo todas as principais informações como posição do seu personagem, itens e status.

Informações que o State Share pode guardar e compartilhar (Foto: Captura/YouTube)

A ideia é que você possa compartilhar o seu jogo exatamente de onde parou e desafiar outras pessoas a, por exemplo, bater seu tempo ou superar a mesma situação difícil que você.

Jogos

Além de Assassin’s Creed Odyssey, a empresa também chamou alguns outros figurões de indústria para mostrar que ela está inserida no mercado. A plataforma conta com apoio de engines de desenvolvimento como Unity e Unreal. Para esta última, inclusive, houve participação de Marty Straton, CEO da Id Software, para o anúncio de Doom Eternal, game da série que estará no Stadia.

Straton apresentando Doom Eternal na GDC (Foto: Captura/YouTube)

Participaram da conferência também celebridades de outras empresas como Tequila Games, de Rime, e Yves Guilhermo da Ubisoft.

A empresa ainda não revelou qual o nível de conexão de internet necessária para que a sua promessa saia do papel, mas informou que os primeiros testes comerciais devem acontecer ainda este ano.

Não há preço divulgado para o serviço.

Fonte: YouTube

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.