YouTube testa permitir vendas diretas em transmissões ao vivo

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 21 de Julho de 2021 às 15h49
Szabó Viktor/Pexels

O YouTube deve liberar em breve a comercialização de produtos e serviços em transmissões ao vivo. O recurso será testado inicialmente com alguns criadores de conteúdo e marcas específicas, como uma forma de medir o desempenho do sistema.

Segundo a rede, trata-se da expansão das compras integradas, também em fase experimental desde o início do ano — até então, elas só eram permitidas para os vídeos gravados e hospedados na plataforma, sem vínculo com as lives. A ideia é permitir que os influenciadores usem da sua reputação para promover a venda de produtos ou serviços.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Em vídeos sob demanda, as compras integradas já estavam disponíveis para perfis selecionados (Imagem: Reprodução/YouTube)

Com o crescimento das lives no YouTube, os desenvolvedores começaram a trabalhar em uma forma para levar essa possibilidade também aos streamers. Recentemente, a plataforma testou a novidade em uma transmissão de evento focado em pequenas empresas.

A maior plataforma de vídeos do mundo sempre foi uma excelente “vendedora de produtos”. Com mais de 2 bilhões de usuários logados por mês, ela é fundamental na estratégia de qualquer lançamento nos mais variados segmentos. Além de promover coisas, o YouTube ainda ajuda a informar o público com formatos ligados ao setor de compras: análises, demonstrações, unboxing (abertura de caixas) e tutoriais.

Antes da ferramenta, para vender qualquer coisa, o criador precisava usar links na descrição dos vídeos ou nos elementos sobrepostos à imagem, como cards ou telas finais. Com a compra integrada, será possível clicar diretamente no rótulo do produto exibido no vídeo para ler levado a uma guia com os itens disponíveis.

Essa é uma solução ainda em construção, mas já mostra a intenção do Google de rivalizar com os concorrentes. Facebook, Instagram, TikTok e Pinterest são exemplos de redes sociais capazes de permitir uma compra a partir do post — embora nem todas façam isso via streaming de vídeo.

Mudanças no Google Shopping

A expansão da experiência de compra de vídeo integrada do YouTube foi anunciada na mesma esteira dos novos recursos do Google Shopping. O popular serviço de vendas da gigante das buscas terá uma nova seção que organiza ofertas e vendas na guia de compras, que será gratuita para os comerciantes que desejam promover seus produtos.

Google Shopping vai mostrar quando algum item estiver de promoção (Imagem: Reprodução/Google)

Além disso, haverá uma área especialmente dedicada para produtos com descontos ou preços mais baixos que os concorrentes, o que deve incentivar as compras. Se a marca associar um produto em promoção ao recurso do YouTube, a chance de aumentar as vendas será bem maior.

Fonte: Google  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.