YouTube anuncia políticas mais rígidas para vídeos que promovam armas de fogo

Por Ramon de Souza | 22 de Março de 2018 às 16h11
photo_camera Divulgação
TUDO SOBRE

YouTube

Empresas e indivíduos que produzem vídeos a respeito de armas de fogo ganharam um motivo para se preocupar na tarde de ontem (21). O YouTube anunciou uma política mais rígida para a publicação de clipes sobre tal tema em sua plataforma — a partir do mês de abril, o serviço não permitirá mais a hospedagem de conteúdos que “promovam ou se conectem com websites que vendem armas de fogo e acessórios”. O site também proibiu vídeos instrucionais que abordem o processo de fabricação de equipamentos caseiros.

O objetivo da Google é, ao que tudo indica, reduzir o número de produções que possam incentivar tragédias como o recente tiroteio em Parkland, na Flórida. Acredita-se que tais vídeos possam facilitar a modificação de armas para que elas se tornem mais letais, tal como a compra de acessórios e munições pela internet. O responsável pelo tiroteio em Las Vegas em 2017, por exemplo, customizou seu rifle usando um acessório chamado bump stock, cuja instalação pode ser vista no YouTube.

Embora as novas políticas tenham sido anunciadas para o mês de abril, algumas empresas e canais famosos sobre armas de fogo afirmam que o “pente fino” já começou. A fabricante de rifles Spike’s Tactical, por exemplo, publicou uma postagem em seu Instagram afirmando que seu perfil no serviço foi banido “violações repetidas e severas” às suas políticas de uso. Já o canal InRange TV demonstrou-se frustrado com a novidade e anunciou que passará a hospedar seus vídeos no site adulto PornHub, como uma forma de protesto.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Fonte: YouTube, Ars Technica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.