YouTube altera regras de uso contra vídeos de brincadeiras e desafios perigosos

Por Natalie Rosa | 16 de Janeiro de 2019 às 13h20
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

O YouTube vai passar a ficar menos tolerante com conteúdos que proponham desafios e brincadeiras perigosas.

Em seu site de suporte, a empresa anunciou que atualizou as diretrizes externas para deixar claro que desafios que podem causar ou causaram morte não terão espaço por lá. As políticas também se estendem para brincadeiras que causem lesões físicas sérias, invasão de residências e também arremessos de objetos ou tiros.

Entre os desafios que levaram o YouTube a tomar esta decisão está a brincadeira do Tide Pod Challenge, quando jovens se desafiavam a ingerir cápsulas de sabão para lavar roupas, e o mais recente Bird Box Challenge, que levava as pessoas a saírem pelas ruas de olhos vendados. Esta "brincadeira", inclusive, resultou em um acidente de carro. Até mesmo a Netflix precisou intervir e alertar para que o desafio não fosse feito por parte de seus espectadores, uma vez que o desafio foi criado com inspiração no filme Bird Box.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A empresa também proíbe vídeos de brincadeiras com crianças que possam "causar sofrimento emocional severo, significando algo tão ruim que poderia deixar a criança traumatizada pelo resto da vida". A companhia revelou ainda que trabalhou ao lado de psicólogos infantis para criar diretrizes sobre estes tipos de brincadeiras, incluindo a punição por erros ou a falsa morte dos pais. Esta questão ganhou destaque na mídia quando Mike e Heather Martin, criadores do canal DaddyOFive, postavam vídeos com brincadeiras psicologicamente abusivas com seus filhos pequenos. O casal acabou perdendo a guarda das crianças.

E o YouTube vai começar a emitir avisos para miniaturas de vídeo que mostrem pornografia ou violência gráfica, assim como em sites externos vinculados à plataforma que não respondam às novas diretrizes. Os criadores terão dois meses para fazer algo em relação ao conteúdo indevido postado e, caso nada seja feito, os vídeos serão removidos e os donos do canal receberão uma advertência.

Fonte: Tech Crunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.