Pornhub derruba 8 milhões de vídeos e permite uploads só de contas verificadas

Pornhub derruba 8 milhões de vídeos e permite uploads só de contas verificadas

Por Wagner Wakka | 14 de Dezembro de 2020 às 15h40
Pornhub

O Pornhub derrubou mais de 8 milhões de vídeos de seu site, após Visa e Mastercard retirarem suporte a pagamentos por cartão na plataforma. O caso começou depois de uma matéria do New York Times, relatando vídeos com menores de idade no site.

Diante da questão, o Pornhub mudou suas políticas e, agora, só permite vídeos de usuários verificados. Segundo nota da empresa ao site Motherboard, os uploads atualmente só podem ser feitos por parceiros oficiais ou membros do programa-modelo do Pornhub, que aceita afiliados.

Todos os outros vídeos agora estão pendentes de verificação e não podem ser mais acessados. Segundo a nota, a verificação de cada um deles começará a ser feita em 2021.

O modelo de negócio do Pornhub é parecido com o de outras plataformas de vídeo. Há conteúdos oficiais, mas o serviço permite que qualquer pessoa suba um conteúdo por lá, tal qual no YouTube. Os problemas estariam concentrados nestes vídeos.

A matéria do Times apontava que os conteúdos, muitas vezes pagos, traziam menores de idade e situações de assédio sexual com crianças. O veículo também ressaltava que a plataforma aceitava pagamentos com Visa e Mastercard. Diante da ligação, ambas as marcas derrubaram a possibilidade de uso de suas bandeiras como pagamento no site.

A plataforma não disse quantos vídeos deixou como pendentes, mas uma conta simples permite chegar a um número aproximado. Segundo levantamento do Motherboard, o Pornhub tinha 13,5 milhões de vídeos disponíveis em seu catálogo no domingo. Nesta segunda, este número caiu para 4,7 milhões, sugerindo que 8,8 milhões deles foram retirados do ar com a mudança.

Em publicação no seu blog, o Pornhub jogou a questão para concorrentes como Facebook, Instagram, YouTube e outros. Para a empresa, estas redes sociais deveriam adotar a mesma postura de fechar seu conteúdo a verificados.

“Nos últimos três anos, o Facebook autorreportou 84 milhões de incidentes de material contendo abuso sexual infantil. No mesmo período, a fundação terceirizada e independente Internet Watch Foundation reportou 118 incidentes no PornHub. 188 é ainda demais, motivo pelo qual estamos comprometidos a tomar todas as ações necessárias”, apontou a companhia em seu blog.

O texto no site ainda acusa a denúncia de moralismo, ao dizer que o Pornhub só é atacado por se tratar de um site de conteúdos adultos. “No mundo atual, todas as redes sociais compartilham a responsabilidade de combater material ilegal”, pontuou, em nota.

Além de permitir somente conteúdos de contas verificadas, a empresa promete outras mudanças, como o fim dos downloads, melhorias em moderação e parcerias com organizações sem fins lucrativos para identificar problemas no site.

Fonte: Pornhub, Vice, The New York Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.