Para acalmar os ânimos, YouTube testa novas regras e formatos de monetização

Por Ramon de Souza | 18 de Abril de 2018 às 15h50
photo_camera Divulgação
TUDO SOBRE

YouTube

No intuito de acalmar os ânimos dos internautas mais revoltados, o YouTube revelou, na tarde de terça-feira (17), que já testando novas regras e formas de monetização para quem produz conteúdo para a plataforma. O anúncio vem para aplacar as constantes críticas que o serviço passou a receber após requerer que os canais tivessem ao menos mil inscritos e 4 mil horas de visualizações para se tornarem elegíveis em seu programa de publicidade.

De acordo com um longo texto assinado por Susan Wojcicki, diretora executiva do YouTube, uma das principais novidades é que a empresa planeja tornar o recurso Sponsorships (Patrocínios) para uma gama ainda maior de criadores. Tal funcionalidade foi inaugurada com exclusividade no YouTube Gaming e funciona como uma espécie de assinatura, permitindo que os fãs do canal façam colaborações mensais no valor de US$ 4,99 para ajudá-lo a se manter no ar.

Além disso, para evitar que o sistema automatizado acabe gerando falsos-positivos e desmonetize vídeos que não infringem as políticas da plataforma (algo que vem acontecendo com frequência), o serviço começou a testar um campo no qual o próprio youtuber, ao enviar um novo clipe, pode preencher com uma descrição interna sobre o conteúdo daquela produção. A ideia é que tal funcionalidade, aliada com tecnologias de machine learning e revisão humana, consiga classificar os vídeos com maior agilidade, evitando que eles sejam erroneamente desmonetizados.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Susan também lembrou que, como prometido, o YouTube conseguiu aumentar sua transparência e comunicação com a comunidade de criadores, respondendo rapidamente às suas dúvidas e atendendo as solicitações de revisão humana para falsos-positivos. A taxa de respostas na própria plataforma aumentou em 600%, e, no Twitter (através dos perfis @TeamYouTube, @YTCreatores e @YouTube), subiu em 75%.

Fonte: YouTube Creators Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.