O que é flood: entenda as diferenças entre flood e spam

Por Matheus Bigogno Costa | 17 de Março de 2020 às 13h40

Com a ampla difusão de informações nas redes sociais, é difícil encontrar aqueles que não tenham escutado que alguém estava “floodando” um feed. O termo flood já está difundido e é amplamente utilizado pelos usuários da internet.

Porém, é importante analisar quais os impactos que esta prática tem na internet atualmente. Confira neste artigo o que é e como o flood impacta a vida de todos os usuários da internet.

O que é flood

Incorporado do inglês, o termo flood significa inundar. O verbo foi atribuído pejorativamente às práticas utilizadas por usuários que postam sucessivamente conteúdos irrelevantes e repetitivos em fóruns da internet ou em redes sociais.

Quando uma pessoa está “floodando”, isso significa que ela está causando um alto fluxo de uma mesma informação em um curto espaço de tempo. Os assuntos são dos mais variados, geralmente, podendo ser uma corrente de 'bom dia' em grupos do WhatsApp, ou até ser uma pessoa que adora comentar sobre um reality show, ou um jogo de futebol constantemente.

Flood e Fake News

A "rede social" que mais sofreu com o flood de seus usuários foi o WhatsApp. Nos últimos anos, o Facebook, empresa dona do WhatsApp, foi acusado de permitir a disseminação de notícias falsas em grande escala e continuamente. Uma investigação internacional foi aberta após o escândalo da Cambridge Analytica, empresa britânica que teve acesso a dados de milhões de usuários que deveriam estar sob proteção da empresa.

O escândalo da Cambridge Analytica fez o Facebook mudar as políticas do WhatsApp / Imagem: Reprodução

Mensagens diretas podiam ser enviadas indiscriminadamente para quantos contatos os usuários quisessem, gerando alto flood na rede do WhatsApp. Atualmente, o WhatsApp limitou o reenvio de mensagens para 5 destinatários, para tenar diminuir a prática de disseminação de fake news e, consequentemente, o flood.

Diferença entre flood e spam

Apesar de parecidos, há diversas diferenças entre o ato de flood e o spam. O flood está diretamente ligado a quantidade de posts e mensagens nas redes sociais, ao passo que o spam está ligado ao recebimento de ligações, e-mails ou mensagem que não foram solicitadas, ou são indesejadas.

A diferença está na quantidade e na procedência desta mensagem. Em caso de e-mail, é considerado o domínio e a origem. Disparadores de e-mail utilizado por agências de marketing, por exemplo, podem ser classificados como spam, mesmo que tenham enviado um simples e-mail.

Em alguns países da Europa e nos Estados Unidos, o ato de enviar mensagens spam pode ser considerado ilegal, com a possibilidade de o autor dos disparos ser processado. No Brasil, a prática não é considerada ilegal, o que fez com que o país se tornasse um dos que mais recebe ligações spam do mundo em 2019.

Apesar de todos os malefícios citados, o flood pode servir para mapear interesses. Os trending topics do Twitter, por exemplo, são baseados em assuntos que estão sendo comentados no momento por seus usuários. Isto permite que outras pessoas fiquem por dentro dessas tendências e interajam entre si. Porém, é importante ficar atento ao flood de conteúdos falsos e ao spam, pois esta prática pode tornar uma informação falsa verdadeira.

E você, “flooda” ou já “floodou” algum fórum ou algum grupo na internet? Deixa nos comentários uma experiência sua com este tipo de prática.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.