NFT falso de Bansky é vendido por quase R$ 2 milhões

NFT falso de Bansky é vendido por quase R$ 2 milhões

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 02 de Setembro de 2021 às 10h37
Reprodução/Pranksy

Os tokens não fungíveis (NFTs) são usados para diversas finalidades, em especial por artistas para vender suas obras e por investidores interessados em fazer dinheiro em cima do potencial de valorização. O problema é quando o sonho de lucrar vira pesadelo por causa de uma farsa, como aconteceu neste caso relatado a seguir.

Um comprador desavisado viu a oportunidade de adquirir um NFT de Banksy, pseudônimo usado por um famoso artista de rua britânico, cujos trabalhos em graffiti podem ser vistos em diversas cidades ao redor do mundo. Recentemente, grande parte da obra do artista foi leiloada por uma agência chamada Pest Control, que mantém um site exclusivo com o trabalho de personalidades de renome e foi usado por um criminoso para dar credibilidade ao golpe.

Essa seria a imagem em NFT que nunca foi recebida (Imagem: Pranksy/Opensea)

Os golpistas criaram uma página falsa no próprio site da agência Pest Control com uma criação em pixels chamada Great Redistribution of the Climate Change Disaster (Grande Redistribuição do Desastre das Mudanças Climáticas, em tradução livre) e a possibilidade de compra via NFT. A arte fake seria uma crítica ao próprio modelo de blockchain e criptomedas, acusadas de consumir elevadas quantidade de energia, o que faz bastante o estilo de Banksy e não levantou suspeita do comprador.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Ele checou todos os links, acessou redes sociais para ver se eram verdadeiras e confirmou a legitimidade do site antes de fazer uma oferta de 100 ETH (cerca de R$ 1,9 milhões na cotação atual). Como o lance foi muito superior aos demais, o leilão foi encerrado abruptamente e o valor subtraído da carteira dele, mas o arquivo digital nunca foi entregue.

Luta para recuperar o valor

O comprador, que curiosamente usa o apelido de Pranksy, não quis se identificar obviamente, mas espalhou as informações para evitar que mais gente caísse no golpe. Ele entrou em contato com a página original da agência que leiloa as criações de Bansky e foi informado que nenhum NFT foi colocado à venda. Em entrevista à rede britânica BBC, os responsáveis pelo site, contudo, não explicaram como a página falsa foi parar lá ou se tomariam alguma medida para localizar os culpados pela fraude.

Essa é uma obra original do artista em um muro na Inglaterra (Imagem: @bansky/Instagram)

Como a notícia ganhou destaque em muitos meios de comunicação no Reino Unido, a pressão sobre o suposto hacker fez com que ele devolvesse todo o Ethereum arrecadado ilegalmente, mantendo para si apenas 5 mil libras (R$ 35 mil) para os custos de transações envolvendo a moeda digital. Pranksy seguiu os rastros do vendedor do NFT e até descobriu seu apelido no Twitter, o que deve ter deixado o criminoso assustado com a repercussão e a persistência da vítima.

Em geral, transações feitas via blockchain são únicas e irreversíveis. Após a confirmação dos blocos, torna-se impossível cancelar um envio e até mesmo descobrir o destinatário, já que as carteiras de criptomoedas não possuem identificação do proprietário. Assim, é fundamental guardar os dados dela em local seguro, preferencialmente fora do computador e da internet, assim dá para evitar roubos. Ah, e também só compre NFTs de lojas confiáveis, com reputação e avaliação positiva de usuários.

Fonte: BBC  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.