Google vai avisar usuário quando o resultado de uma busca não for confiável

Google vai avisar usuário quando o resultado de uma busca não for confiável

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 28 de Junho de 2021 às 09h30
firmbee/Unsplash

Para tentar combater a disseminação de notícias e informações falsas, o Google vai aprimorar seu algoritmo para notificar as pessoas quando o resultado da pesquisa não for confiável. Trata-se de um passo importante para evitar teorias conspiratórias, mentiras e outras questões com terreno fértil em sites pequenos da web.

O comunicado também vai alertar toda vez que algo esteja mudando rapidamente, como fatos recentes ou dados estatísticos preliminares. Se um tópico for muito novo, a mensagem dirá que “pode levar algum tempo para que os resultados sejam adicionados por fontes confiáveis”.

Quando o assunto for muito novo ou duvidoso, a mensagem de alerta aparecerá (Imagem: Reprodução/Vox.com)

Isso está em teste com um pequeno grupo de usuários desde a semana passada e deve ser liberado gradualmente para todos. Inicialmente, o foco são assuntos polêmicos e em voga, como a COVID-19 ou boatos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O Google tem se empenhado juntamente com redes sociais para frear a atuação de grupos responsáveis por espalhar fake news, conspirações e outras teorias malucas sem qualquer respaldo. Antes, havia muito receio em remover esse tipo de conteúdo com medo de cercear a liberdade, mas as empresas notaram que essa omissão tem gerado ameaças até para regimes democráticos.

Informar e deixar por conta do usuário

Por enquanto, o recurso da gigante das buscas tem um caráter pedagógico, para tentar educar as pessoas e criar o hábito de desconfiar do que leem, principalmente no caso de sites questionáveis ou de informações parciais. O aviso não vai dizer se o resultado está certo ou errado, mas apenas alertará para a falta de dados mais sólidos, e caberá ao usuário decidir se aceita o que determinada página disse ou não.

Como exemplo, o Google menciona um caso recente de suposto avistamento de OVNIs no Reino Unido. O vídeo, assim que disseminado nas redes sociais e apps de chat, desencadeou um aumento nas buscas, mas ainda não havia cobertura da imprensa sobre o assunto. Por isso, não se sabia que tipo de material era aquele, qual a sua origem e se a narrativa era real.

Aprimoramento do contexto

A iniciativa do Google tem como meta contextualizar melhor as buscas, para facilitar o entendimento daquilo mostrado como resultado. Em fevereiro deste ano, um botão com link para "mais informações" foi inserido para permitir a pesquisa em fontes relacionadas a determinado assunto. Essa adição deve seguir na mesma linha. Assim, antes de sair espalhando sobre uma “nova pandemia”, a pessoa pode checar antes na busca se algum site respeitado já falou sobre aquilo.

Ainda não está claro como o algoritmo da companhia vai classificar quais fontes são ou não confiáveis. Provavelmente deve ser baseado em uma série de critérios cruzados, como a quantidade de acessos, a capacidade de reter público, a antiguidade do domínio e outras pontuações internas.

O fato é que essa adição deve ajudar a esclarecer melhor as pessoas, e isso é necessário nos tempos atuais. É sempre bom lembrar que em 2022 haverá eleições no Brasil e a tendência é aumento nas notícias falsas até lá.

Você acha que a iniciativa do Google é positiva ou negativa? Comente e compartilhe sua opinião de forma respeitosa e amigável.

Fonte: Vox.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.