Escultura virtual do "1º humano nascido no metaverso" é vendida por R$ 156 mi

Escultura virtual do "1º humano nascido no metaverso" é vendida por R$ 156 mi

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 11 de Novembro de 2021 às 12h52
Reprodução/Christie's

Uma obra de arte digital criada como um token não fungível (NFT) foi arrematada pelo preço de US$ 28,9 milhões (R$ 156 milhões em conversão direta) na Christie's, uma das maiores casas de leilões do mundo, localizada em Nova York, nos Estados Unidos. Além do token, a peça também abrange uma escultura 3D criada pelo artista digital americano Mike Winkelmann, mais conhecido como Beeple, e impressiona pela tecnologia envolvida.

O modelo comercializado tem 2,10 m de altura e é feito com quatro enormes telas de LED (16k de resolução) montadas para simular uma caixa de vidro com uma moldura de madeira e alumínio. Nas telas, há a reprodução de um vídeo tridimensional de um humanoide com visual espacial caminhando por cenários únicos.

A peça foi criada para ser vendida pelo blockchain da Ethereum e batizada como HUMAN ONE, referência do artista ao "primeiro retrato de um ser humano nascido no metaverso". Na imagem, é possível ver o ser vestido com roupas prateadas, luzes de neon na mochila e botas, capacete reflexivo e cenários com paisagens que vão de florestas a desertos. O acabamento físico é bem definido e a impressão que se tem é de o humanoide estar preso na caixa, mesmo com tanta andança.

Esse valor alto não intimidou os amantes da arte digital, tanto que o leilão foi fechado em apenas três minutos após a oferta de um comprador da Suíça. O curioso foi a combinação de tecnologias físicas e digitais, uma mescla de NFT e peças convencionais de museu.

Uma obra infinita

Beeple garantiu que continuará a adicionar imagens na escultura ao longo da sua vida para estabelecer um relacionamento vitalício com o arrematador da obra. Ou seja, na prática, o comprador terá uma peça mutável que jamais será igual enquanto o artista for vivo. Além disso, por acompanhar o NFT, ele terá total direito sobre a criação para revendê-la, se quiser, colocá-la em exposição ou dar outra finalidade desejada.

No início do ano, uma compilação de imagens digitais do artista, intitulada "Everydays: The First 5000 Days", foi leiloada por US$ 69,3 milhões (mais de R$ 385 milhões) também como um NFT. Na época, esse valor gigantesco causou uma imensa movimentação nos mercados, com crescimento de US$ 10,7 bilhões (quase R$ 60 bilhões) apenas no terceiro trimestre de 2021, um crescimento de 800% quando comparado aos três meses anteriores.

Fonte: Christie's  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.