Confira oito dicas para proteger seus equipamentos e e-mails da ação de bandidos

Por Adriano Camargo | 17 de Maio de 2012 às 14h00

Com o recente caso envolvendo a invasão da conta de e-mail e o vazamento de fotos íntimas de uma conhecida atriz brasileira, fica evidente o grau de vulnerabilidade a que estão expostos os usuários de Internet, que no Brasil já somam quase 80 milhões de pessoas (de acordo com o IBOPE Nielsen Online).

Apesar da maioria dos internautas já possuir alguma solução de proteção em suas máquinas (desktops e notebooks), a mesma preocupação não acontece quando pensamos nos milhões de smartphones e tablets vendidos a cada ano - e que cada vez mais substituem as tarefas executadas no PC.

Muitos desses internautas acessam suas contas de e-mails pessoais e corporativos, redes sociais e outras aplicações na web por meio desses dispositivos. Na medida em que aumenta o tráfego na internet gerado por meio desses novos canais (somente os tablets respondem por 42% do tráfego na web gerado fora do ambiente PC, segundo dados da comScore), cresce na mesma proporção o interesse dos criminosos cibernéticos pelo tipo de informação que pode ser coletada e que tenha algum valor comercial, tais como dados bancários, senhas, número de cartões de crédito, fotos, e-mails sigilosos e etc.

O grau de sofisticação dos criminosos é tamanho que alguns programas maliciosos são capazes de identificar até o tipo de proteção que o usuário possui antes de invadir o equipamento.

Segundo Ascold Szymanskyj, Vice-presidente de vendas e operações da F-Secure para a América Latina, "a pergunta agora não é mais se você vai ser atacado ou não, mas sim quando você será atacado por um hacker ou cracker". "Por isso devemos nos precaver de todas as formas para evitar prejuízos financeiros e de imagem, seja para pessoas físicas ou empresas", afirma.

Com essas informações da F-Secure, nós separamos algumas dicas úteis de segurança, para usuários que acessam a Internet tanto via desktops e notebooks quanto por dispositivos móveis, acompanhe:

  • Mantenha seu sistema atualizado: Um sistema operacional atualizado permite que você aproveite ao máximo os recursos do equipamento ao mesmo tempo em que protege sua informação. Evite falhas de segurança ou vulnerabilidades mantendo sempre atualizado o software em seu dispositivo móvel;
  • Combinação antivírus e backup: Ao adquirir um lote de equipamentos para os funcionários de sua empresa é importante que o responsável de TI pense também em um pacote de segurança que combine antivírus e backup;
  • Solução antirroubo: Uma solução de segurança confiável protege os dados contidos no equipamento contra pragas virtuais, além de permitir a localização do aparelho em caso de perda ou roubo. Soluções como essa permitem ainda que a empresa possa bloquear ou mesmo apagar totalmente os conteúdos armazenados no aparelho;
  • Cuidado ao clicar em links desconhecidos: É comum recebermos emails com ofertas simulando o contato de uma fonte confiável (banco, loja, operadora de telefonia). Conhecido como "phishing", ele induz o usuário a clicar em links, que na verdade irão direcioná-lo para sites maliciosos, onde os dados serão coletados para roubo de informações de cartão de crédito, por exemplo. Sempre verifique se o site começa com "https" antes de digitar informações pessoais e verifique também se o mesmo possui Certificado Digital SSL. Se desconfiar, não abra!
  • Evite efetuar transações bancárias em redes públicas: Tenha em mente que a rede Wi-Fi na qual seu celular ou tablet está conectado pode não ser segura. Limite sua atividade de navegação nestas redes e evite fazer qualquer transação eletrônica que inclua informações e senhas de sua conta bancária, assim como dados cadastrais e outras informações pessoais;
  • Cuidados nas redes sociais: Utilize os critérios de filtro das redes sociais para acessá-la via dispositivo móvel. A dica básica é evite se expor demais. Uma estatística interessante sobre o Facebook: em geral a média de amigos que um usuário possui é de 120 contatos. Logo, um dado postado na rede social é transmitido a 120 pessoas. Se a informação for postada por um dos usuários para outros 120 contatos e assim sucessivamente, após três saltos na cadeia essa informação terá sido acessada por 1,73 milhão de pessoas. Logo, antes de postar mensagens em sua página, pense se realmente não haverá problemas que outras pessoas acessem esse conteúdo;
  • Baixe aplicativos de fonte segura: Mesmo utilizando o dispositivo para tarefas profissionais, é comum termos em nosso smartphone ou tablet uma quantidade razoável de aplicativos. Existem muitos tipos de apps, sendo que alguns são oferecidos de forma independente, sem mecanismos de controle dos canais de venda. Utilize lojas de aplicativos de empresas reconhecidas no mercado. Caso queira baixar um aplicativo de um terceiro, faça uma pesquisa prévia e verifique se é confiável;
  • Avalie bem quais são os dados de acesso solicitados por cada aplicativo: Alguns aplicativos podem requerer acesso a seus dados ou informações pessoais. Seja cauteloso com o acesso que está fora da proposta do aplicativo. Por exemplo, um game não precisa ter acesso a SMS, chamadas realizadas, agenda de contatos e arquivos do sistema. Caso um aplicativo como este solicite esse tipo de informação, desconfie. Caso tenha alguma dúvida sobre o aplicativo, não o instale.
Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.