A Internet das Coisas e nossas conexões com o futuro

Por Redação | 09 de Junho de 2014 às 14h47

Especialistas afirmam que a "Internet das Coisas", conceito que prevê que todos os objetos, incluindo os vestíveis, chamados de wearables, e demais gadgets da sua casa irão ser totalmente conectados à internet e compartilhar informações entre si, irá se tornar algo dominante no planeta até 2025. As informações são do Mashable.

Internet of things

Uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center aponta que cerca de 83% dos 1.600 especialistas entrevistados acreditam que, dentro de 11 anos, a Internet das Coisas irá dominar o público que utiliza aparelhos eletrônicos. Mas não é algo que acontecerá da noite para o dia, apesar dos fortes rumores que apontam a nova onda de aparelhos conectados à Internet como o futuro que bate às nossas portas.

"Muitos especialistas dizem que o crescente uso de cada vez mais aparelhos conectados à internet irá trazer uma nova revolução para a tecnologia digital", diz Janna Anderson, da Elon University. Segundo ela, benefícios para a saúde, produtividade e segurança serão garantidos com o advento da popularidade da Internet das Coisas. Enfrentaremos problemas com a complexidade tecnológica, e a privacidade com certeza irá diminuir a partir do momento em que nossas casas possuírem tomadas, ventiladores e outros vários aparelhos conectados à internet.

Não deve ser surpresa pra ninguém, mas os wearables estão no topo das expectativas para o futuro da Internet das Coisas. É certo que smartwatches, os relógios que funcionam quase como celulares, se estabeleçam como algo que será visto nos pulsos de boa parte da população no futuro. Mas não acaba aí. Tomadas, ventiladores e até mesmo banheiras inteligentes estão sendo desenvolvidas mundo afora. Logo, uma pessoa poderá ter uma casa inteligente, podendo controlar diversos serviços domésticos remotamente. Isso também está na lista do que poderá ser dominante na sociedade até 2025.

Smarthome

Nós já temos diversas marcas cuidando da criação de itens que tornem nossas casas conectadas, tais como Nest, Samsung e D-Link. O problema disso é que nem todo item de uma marca é compatível com o de outra. Esse é um problema comum a ser enfrentado por aqueles que desejam montar uma smart house como a da imagem acima. É um problema que deverá ser solucionado nos próximos anos, caso as empresas juntem esforços para trabalhar em uma conexão maior. A privacidade ainda será um problema.

Imagine que tudo que você fizer será monitorado por um gadget ou aplicativo, e isso com certeza será utilizado por empresas para que elas saibam do que você gosta e como você gosta, e assim, mais propagandas daquelas "feitas pra você" deverão surgir. E esse é um dos "menores" problemas relacionados à privacidade. Se hoje em dia tudo é compartilhado e tuitado, imagine daqui a 11 anos.

Ainda assim, os especialistas apostam firmemente que até 2025 teremos dispositivos capazes de medir a pressão, diabetes, níveis de poluição do ar e alguns que possam nos ajudar a economizar nos mais diversos setores de nossas vidas. Os benefícios poderão ser imensuráveis, mas também devemos estimar o que isso irá tirar do nosso dia-a-dia comum.

Os participantes dos estudos conduzidos expressaram certa preocupação quanto a isso, principalmente o medo de não conseguirem consertar as coisas quando elas começarem a apresentar defeito, e também de as relações humanas serem substituídas pelo uso da internet, coisa que já acontece bastante na nossa sociedade atual.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.