Tecnologia reduz automaticamente o preço de alimentos próximos ao vencimento

Tecnologia reduz automaticamente o preço de alimentos próximos ao vencimento

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Maio de 2021 às 18h20
Reprodução/Wasteless

Você sabia que cerca de 30% dos alimentos produzidos no Brasil são desperdiçados? Isso representa quase 41 mil toneladas de comida jogadas fora todos os dias, enquanto milhões de outras pessoas estão passando fome. Parte desse problema ocorre porque os mercados não conseguem comercializar os produtos antes do vencimento.

Uma startup chamada Wasteless acredita que a inteligência artificial pode contribuir para amenizar esse problema. A empresa polonesa desenvolveu um sistema baseado em aprendizado de máquina para reduzir automaticamente o preço dos alimentos perecíveis à medida que passam mais tempo nas prateleiras dos supermercados. Veja como funciona:

Quando mais próximo o produto estiver da data de validade, mais barato será o seu valor de venda. Isso seria exibido na etiqueta dos produtos com os preços diferentes: em certas ocasiões, o valor poderia ser até metade do original.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A companhia trabalha no sistema desde 2016 e começará a testar seu software na rede Metro, um conglomerado que opera 678 supermercados atacadistas em 24 países em todo o mundo. Os dois planejam inicialmente implantar a tecnologia nas lojas Makro na Polônia antes de implantá-la em outros locais.

A Wasteless afirma que seu sistema reduz o desperdício de alimentos em supermercados em pelo menos 40%. Nos próximos anos, a empresa acredita que pode aumentar esse número para 80% com aprimoramentos em sua tecnologia. Além de gerar economia financeira para os comerciantes, também ajuda a reduzir o impacto ambiental causado pelas produção industrial.

As etiquetas são alteradas sem qualquer interferência humana (Imagem: Divulgação/Wasteless)

Com escritórios em Nova York, Tel Aviv, Londres e Amsterdã, a startup opera em toda a Europa e nos Estados Unidos. Caso a experiência dê resultados positivos, a empresa pode expandir os serviços para outras localidades.

É claro que, com um propósito tão nobre, a startup não trabalharia sozinha. Várias organizações já estão em contato com a empresa para ajudar no desenvolvimento da IA. Uma das equipes mais notáveis é o Projeto Delta, da Alphabet (empresa que controla o Google): o time começou a testar um protótipo adaptado para uso em cozinhas industriais e comerciais.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.