People: o uso de bots pode ser acessível para empresas de todos os tamanhos?

Por Rui Maciel | 20 de Novembro de 2019 às 07h45
Divulgação

People (ou, em bom português, Pessoa). É com essa plataforma – batizada com esse simpático nome - que uma companhia mineira (baseada em Uberlândia) chamada Cedro Technologies quer popularizar o uso de chat e voice bots para empresas de todos os portes.

Basicamente, o People é uma plataforma de criação e gerenciamento de chat e voice bots, integrada aos serviços cognitivos da Microsoft. Segundo a Cedro, ela permite o uso e entendimento de uma linguagem mais natural nas interações, além de ser flexível na integração com serviços de terceiros, como ERP e CRM’s, por exemplo.

Mas, para Bruno Vieira Zago, diretor da Cedro Technologies, o grande diferencial do People é a sua possibilidade de democratizar os serviços de bots para empresas de qualquer porte: “Nossa plataforma pode atender companhias de todos os tamanhos, de um pequeno café a uma empresa de grande porte. Se ela trabalha com um produto que exige a interação com seus clientes, o People pode ser implementado ali”, afirma Zago, em entrevista ao Canaltech. “Além disso, foi-se o tempo em que ter um serviço de bot exigia um investimento gigantesco em profissionais e tecnologias. Ferramentas como a People permite que as empresas contratem o serviço e deixem a sua implementação por nossa conta. E tudo a um preço muito mais em conta”.

WhatsApp, redes sociais, sites e mais

Thiago Morais Felix, product owner da Cedro, explicou que, a partir do People, os voice bots poderão ser instalados em diversos canais, tais como Messenger Facebook, WhatsApp Business API, Telegram, Skype, Cortana, Twilio, Microsofts Teams, Whatsapp, chat no seu próprio site, email e muitos outros. “Em pouco tempo o seu chatbot aprende com as interações e melhoram ainda mais a sua performance, garantindo uma interação positiva em múltiplos canais”, exemplifica Felix.

Interface do People: plataforma permite que o próprio cliente crie, controle e analise as interações / Crédito da foto: divulgação

Além disso, segundo ele, o People gera uma série de relatórios para aferir a qualidade dos atendimentos, acompanhar quais são os canais de interação mais utilizados pelos usuários, verificar quais são os assuntos mais acessados, entre diversos outros indicadores. “Esses dados são muito importantes para avaliar os resultados da sua estratégia. Assim, sua empresa pode adaptar seu voice bots de acordo com seus objetivos e verificar onde estão os gargalos de atendimento e como melhorá-los”, destaca o executivo.

Instalação

De acordo com a Cedro, o PEOPLE é uma plataforma SaaS (Software as a Service), ou seja, a empresa interessada não precisa instalar e atualizar softwares e hardwares. Todo acesso é feito através de uma conexão com a internet, onde o usuário poder gerenciar os chatbots e suas integrações, mesmo que ele não tenha um conhecimento mais amplo de TI.

Entre as empresas que já fazem uso do serviço, estão companhias como Votorantim, Itaú, Gebsa Prev, Guide Pepsico.

Treinamento intuitivo

Zago explica ainda que ainda que implementação do People fique a cargo da Cedro, a plataforma permite que a própria empresa contratante do serviço possa criar e gerenciar seus bots. “O People tem um design intuitivo e direto, onde a equipe [da empresa contratante] poderá treinar seu chatbot rapidamente, configurar as respostas e tornar seu atendimento escalável”, explicou. “A integração com Inteligência Artificial é nativa, ou seja, todos os bots desenvolvidos na plataforma podem contar com IA e Machine Learning, o que possibilita que o cliente diga o que precisa de forma livre e natural. As respostas dadas a esses clientes serão conforme a base de informações qual o voice bot foi treinado”.

No entanto, o executivo alerta para a importância da presenta do elemento humano: “É claro que os bots não substituem totalmente o atendimento humano, mas conseguem resolver aqueles problemas de resolução rápida, aumentando a satisfação do cliente. E, claro, potencial redução de custos em atendimento, já que ela pode funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana ”, afirma Felix.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.