Sistema dispensa eletricidade e usa sal e luz solar para resfriar ambientes

Sistema dispensa eletricidade e usa sal e luz solar para resfriar ambientes

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 27 de Setembro de 2021 às 18h29
Reprodução/KAUST

Pesquisadores da King Abdullah University of Science and Technology (KAUST), na Arábia Saudita, desenvolveram um sistema inovador de resfriamento constante que utiliza sal e a luz solar em abundância para esfriar ambientes internos ou refrigerar alimentos, sem a necessidade de componentes elétricos.

O dispositivo, ainda em fase experimental, aproveita o fenômeno natural de mudança de fase, em que a energia é absorvida conforme os cristais de sal se dissolvem na água. Isso significa que, conforme o sal é adicionado à água quente, essa água esfria rapidamente à medida que o sal é diluído.

“As regiões quentes têm altos níveis de energia solar, então seria muito atraente usar essa fonte energética para o resfriamento. Pensamos em um projeto de armazenamento e conversão de energia solar que funciona fora da rede elétrica convencional para garantir um resfriamento mais ecológico e barato”, diz o professor de ciência ambiental Wenbin Wang, autor principal do estudo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Sem eletricidade

Os pesquisadores da KAUST estudaram vários sais e escolheram o nitrato de amônio devido a sua alta solubilidade em água e sua capacidade de resfriamento imediato, quatro vezes maior que o cloreto de amônio, o segundo sal mais eficaz utilizado durante os testes em laboratório.

Resfriamento ocorre enquanto o sal é dissolvido na água (Imagem: Reprodução/KAUST)

Após muitos experimentos, os cientistas descobriram que o sal conseguia resfriar o espaço ao redor de um copo de metal cheio de nitrato de amônio da temperatura ambiente de 25 °C para 3,6 °C em apenas 20 minutos. Além disso, o resfriamento no local permaneceu constante, mantendo-se abaixo de 15 °C por mais de 15 horas.

“Outra vantagem desse sal é que ele é barato e já é amplamente utilizado na indústria de fertilizantes, tornando-se uma opção comercialmente viável e fácil de ser implantada em grande escala, principalmente em regiões como o Oriente Médio que carecem de recursos como água potável e eletricidade”, acrescenta Wang.

Reaproveitável

Além de ser utilizado em sistemas de refrigeração de edifícios inteiros, os pesquisadores acreditam que dispositivo também poderia ser usado para resfriar e conservar alimentos. Outro benefício é que é possível aproveitar a energia solar para cristalizar e reutilizar o sal após a evaporação da água.

Após cristalizar, o sal pode ser reaproveitado (Imagem: Reprodução/KAUST)

Embora permitir que a água evapore em ambientes áridos e ressecados possa parecer um desperdício de recursos hídricos, a maior parte dessa água poderia ser recuperada e reutilizada com o uso de um destilador solar acoplado ao sistema de resfriamento, garantindo um abastecimento sustentável.

“Em muitas partes do mundo, há uma necessidade maior de resfriamento devido às mudanças climáticas, mas nem todas as comunidades têm recursos suficientes de eletricidade para utilizar um ar-condicionado ou qualquer outro sistema de refrigeração convencional. Além de esfriar, esse dispositivo é ecologicamente amigável”, encerra o professor Wenbin Wang.

Fonte: KAUST

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.