Rolls-Royce se une à Intel para a criação de navios autônomos

Por Patrícia Gnipper | 16 de Outubro de 2018 às 19h55
Rolls Royce

Em 2016, a Rolls-Royce já havia revelado seus planos de construir navios autônomos, mas tudo ainda estava no papel em estágios bastante iniciais. Agora, dois anos depois, um passo a mais foi dado: a empresa firmou uma parceria com a Intel para a criação de navios de carga com a capacidade de navegar sem tripulação humana.

Os navios contarão com LIDAR, radares, câmeras térmicas e câmeras HD como parte de seu sistema de inteligência, e também terão salas de servidores que alimentarão a IA, armazenando ali quantidades gigantescas de dados coletados por essa variedade de sensores.

A Intel, então, está fornecendo sua tecnologia FIeld Programmable Gate Array para que a Rolls-Royce consiga resolver desafios no desenvolvimento. Ainda, a IA usará processadores Xeon, da Intel, para tomar decisões com base nas informações que os sensores coletarem — e como a capacidade de coleta deles é de 1 TB de dados diariamente, é preciso muito poder de fogo para lidar com tanta informação ao mesmo tempo. Os navios carregarão esses dados para a nuvem uma vez por mês, com tudo sendo armazenado em uma espécie de "caixa preta" que, na verdade, são SSDs 3D NANO da Intel.

Com essa investida, a fabricante de navios pretende eliminar, de uma vez por todas, o erro humano responsável por acidentes e prejuízos operacionais. Ainda, sobrará mais espaço para carga nos navios, já que sua equipe operará os sistemas em terra — exceto em casos muito especiais, como, por exemplo, no transporte de materiais considerados perigosos.

A empresa já está testando esse sistema de IA em pelo menos uma balsa no Japão, enquanto treina a IA para ser capaz de identificar barcos e demais obstáculos em qualquer ângulo.

Fonte: Rolls Royce, Intel

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.