Reclame Aqui | Menos reclamação, mais dados

Por Stephanie Kohn | 04 de Julho de 2019 às 11h40
Reprodução

Nesta terça-feira, 2, o Reclame Aqui promoveu o RATrust, em São Paulo. Um evento que tinha como objetivo apresentar a empresa como uma marca que gera experiências de confiança e não apenas uma central de reclamações.

Sendo assim, cada detalhe foi pensado para mostrar ao público como cria-se essa relação. Os headphones de tradução, por exemplo, não eram trocados por RGs, mas oferecidos sem qualquer moeda de troca e a entrada não exigia documento de identificação ou inscrição.

"O ano passado fizemos um grande evento em que paramos de falar de reclamações e passamos a falar de histórias de consumo. Até o ano passado a gente precisava falar de reclamação, pegar no pé das más empresas, mas agora estamos colocando as boas empresas num pedestal", comentou Maurício Vargas em entrevista exclusiva ao Canaltech.

Além de promover no mercado essa relação de confiança e cobrar das marcas a credibilidade e responsabilidade necessárias, o Reclame Aqui também vive um momento de mudanças internas para dar o grande salto como uma empresa de tecnologia.

"Nosso maior faturamento vem da plataforma de CRM, a HugMe. Cerca de 800 empresas, entre as maiores do Brasil, gerenciam suas entradas de consumidores via Facebook, Twitter, emails e etc pela nossa plataforma. Mas vamos ser disruptivos novamente, pois estamos nos transformando em uma empresa de dados", disse Maurício. "Para fazer isso tivemos que mudar o foco. Estamos com 200 pessoas e chegaremos até 300 em pouco tempo. Também estamos tentando comprar uma empresa inglesa que tem o pé na Índia, Canadá e México", completou.

Nova onda do 5G

Para Maurício, tudo isso será possível com a chegada do 5G, que vai habilitar novos dispositivos para conexão e geração de dados por meio da Internet das Coisas. "O 5G será tão importante quanto a criação da máquina de impresão por Gutenberg. Será de 20 a 100 vezes mais rápido que o 4G que vai permitir aplicações absurdas com IoT e Inteligência Artificial", falou empolgado.

Outra grande mudança de comportamento que vai impactar todo o mercado e todos os setores, segundo Maurício, é a ascensão da voz e dos gestos especialmente com a chegada de inúmeros assistentes virtuais. "A voz continua sendo o meio mais importante de comunicação mais importante para a humanidade e nesse novo mundo o 5G será ainda mais relevante. O smartphone não será mais o centro do ecossistema, mas a voz", finalizou.

Ainda de acordo com o CEO, 90% dos principais casos de 5G no mundo estarão completamente implementados até 2023. Ou seja, faltam poucos anos para essa nova mudança mundial de comportamento orientada pela tecnologia.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.