NVIDIA promete revolucionar conceito de metaverso com avatares tecnológicos

NVIDIA promete revolucionar conceito de metaverso com avatares tecnológicos

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 09 de Novembro de 2021 às 16h27
Reprodução/NVIDIA

A NVIDIA anunciou nesta terça-feira (9) o lançamento da sua plataforma tecnológica para criação de avatares interativos baseados em inteligência artificial. O Omniverse Avatar pretende entregar personagens altamente detalhados com gráficos 3D e Ray Tracing que poderão ver, falar, conversar e interagir com pessoas de forma natural.

Segundo a NVIDIA, a promessa é interconectar vários produtos inovadores para criar essa experiência inédita: IA de fala, visão computacional, compreensão da linguagem natural, mecanismos de recomendação e tecnologias de simulação. Os assistentes serão personalizáveis para uma adaptação em vários segmentos industriais e comerciais, como no auxílio das tarefas de atendimento ao cliente e com possibilidade de ampliar oportunidades de negócios.

Esse é um avatar do Omniverse do CEO da NVIDIA criado como um brinquedo (Imagem: Reprodução/NVIDIA)

A companhia afirma que as criações serão capazes de anotar pedidos em restaurantes, realizar transações bancárias, agendar consultas médicas, fazer reservas e outras tarefas que possam ser ensinadas a ele, graças ao mecanismo de aprendizagem de máquina. Caso isso se concretize, pode significar uma evolução no conceito de assistentes virtuais, que hoje são ativados apenas por voz e possuem limitações de atividades desempenhadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Por falar em voz, a empresa promete lançar um kit de desenvolvimento de software que reconhece fala em vários idiomas para essa plataforma. Baseado no Riva, a ideia é proporcionar respostas de fala semelhante à humana por meio de recursos de conversão de textos em voz. A previsão é usar o Megatron 530B, um modelo pré-treinado que pode completar frases, responder perguntas de vários assuntos, resumir histórias longas e complexas, traduzir para outros idiomas e lidar com muitos domínios para os quais não foi especificamente treinado.

Esse abacate realista foi criado com ferramentas da empresa para o Omniverse (Imagem: Reprodução/NVIDIA)

Usos concretos da tecnologia

"O Omniverse Avatar combina os gráficos, a simulação e a IA básicos da NVIDIA para fazer algumas das aplicações em tempo real mais complexas já criadas. Os casos de uso de robôs colaborativos e assistentes virtuais são incríveis e de amplo alcance", explica o fundador e CEO da NVIDIA, Jensen Huang.

O criador de avatares faz parte do chamado NVIDIA Omniverse, uma versão simulada do mundo virtual e uma plataforma colaborativa para fluxos de trabalho em três dimensões. Na prática, a premissa é parecida com o metaverso anunciado pela Meta (ex-Facebook Inc.), porém com o refino gráfico dos avanços tecnológicos da fabricante de placas gráficas e chips.

Esse assistente virtual vai conversar e atender as pessoas como um atendente real (Imagem: Reprodução/NVIDIA)

Em fase beta com cerca de 70 mil testadores, o Omniverse já tem planos para entregar serviços como o DRIVE Concierge, para serviços sempre ativos e inteligentes em veículos; o Projeto Maxine, para videoconferências; e o Projeto Tokkio, voltado para suporte ao cliente. Neste último caso, o CEO da NVIDIA fez uma versão dele mesmo em estilo de brinquedo para falar sobre diagnósticos de saúde e de ciências climáticas.

Já no caso da IA DRIVE Concierge foi possível verificar um assistente digital, localizado na tela do painel central, que auxilia o motorista na escolha da melhor rota e define um lembrete para avisá-lo quando a autonomia do carro for reduzida, como falta de gasolina ou pouca carga de bateria no caso de veículos elétricos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.