NASA quer mapear o vento para tornar os voos dos drones mais seguros

NASA quer mapear o vento para tornar os voos dos drones mais seguros

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 09 de Setembro de 2021 às 15h06
ktsimage/Envato

A NASA vai usar a startup japonesa Metro Weather para criar mapas de ventos, tornando os voos de drones e de futuros táxis aéreos mais seguros. A empresa fabrica sensores LiDAR compactos de baixo custo, que podem ser utilizados para detectar variações perigosas de vento e permitem que veículos aéreos operem em ambientes urbanos de maneira mais segura.

O sensor LiDAR (Light Detection And Ranging) — detecção e alcance de luz, em tradução livre — é uma tecnologia que usa a luz para medir distâncias. Os dispositivos fabricados pela startup japonesa calculam o movimento e a velocidade do vento, rastreando a poeira fina presente na atmosfera com um laser infravermelho.

“A partir de março do próximo ano, dois sensores LiDAR serão usados em um local de teste de drones da NASA. A ideia é demonstrar como as informações em tempo real podem ajudar esses veículos a escolher rotas ideais para evitar variações bruscas de vento e outros perigos”, afirma o CEO da Metro Weather Junichi Furumoto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Drones e carros voadores

Há algum tempo os drones, e mais recentemente os carros voadores, começaram a se aproximar da realidade. Quadricópteros são usados para fotografar e gravar ambientes; empresas como a Amazon e a Alphabet utilizam aeronaves autônomas para fazer entregas, enquanto outras companhias apostam no transporte de pessoas com veículos que decolam e aterrissam na vertical, como nos filmes de ficção científica.

Esse aumento na demanda por dispositivos voadores gera preocupações com a segurança dos equipamentos e também dos usuários. “Voar nessas coisas sem conhecer o vento e correr o risco de eventuais colisões é inconcebível. Ainda mais quando estamos carregando pessoas”, lembra Furumoto.

LiDAR da Metro Weather que será usado em testes da NASA para criar mapas de vento (Imagem: Reprodução/Metro Weather)

Como os sensores LiDAR possuem um alcance de 18 km, a ideia é instalar os aparelhos — que pesam pouco mais de 130 kg — no topo de arranha-céus e torres nas grandes cidades, cobrindo uma área muito maior para a detecção das rajadas de vento que podem danificar e até derrubar aeronaves.

UML4

Com o algoritmo proprietário da Metro Weather, que usa um laser de baixa potência para detectar variações de vento, a agência espacial norte-americana pretende começar o desenvolvimento do chamado nível 4 de mobilidade aérea urbana (UML4, da sigla em inglês) em 2025.

Conceito do UML4 desenvolvido pela NASA (Imagem: Reprodução/NASA)

O UML4 é um sistema moderno de classificação parecido com o usado em programas de direção autônoma veicular. O modelo prevê centenas de voos simultâneos decolando de aeródromos urbanos, com veículos tripulados trocando informações entre si para evitar colisões.

“Ainda não sabemos qual será o uso dessa tecnologia no futuro. Os sensores podem ser utilizados apenas em estratégias de logística ou se tornarem os primeiros passos reais para a criação de táxis voadores, capazes de trafegar por grandes centros urbanos com total segurança”, encerra Junichi Furumoto.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.