USB 1.1, 2.0, 3.0 e 4.0? Saiba quais são as diferenças entre eles

Dispositivos e gadgets USB (Universal Serial Bus) se tornaram bastante presentes em nosso dia a dia com mouses, teclados e até monitores fazendo uso dessa interface.

Praticamente quase todos os computadores vendidos hoje, desde os mais simples netbooks até os desktops de jogos mais potentes, vêm equipados com portas USB 3.0, onde alguns modelos mais modernos trazem agora o USB 3.1.

No futuro, esses mesmo aparelhos virão com o recém-lançado padrão 4.0, que traz conectores USB-C dos dois lados e muita - mas muita - velocidade. Do 1.1 ao 4.0, você confere todas as mudanças e destaques de cada versão a seguir.

USB 1.1

Lançado em 1998, essa versão foi desenvolvida para unificar o tipo de interface utilizada para conectar periféricos, pois o padrão 1.0, lançado em 1996, definia as especificações técnicas para todos os dispositivos USB, mas não dizia nada sobre um conector padrão para ser utilizado, de forma que existia uma mesma interface de implementação para todos os dispositivos, mas com vários tipos de conectores.

Padrão mais popular do USB / Canaltech

Essa especificação previa velocidades de 1,5 Mbps até 12 Mbps, dependendo da configuração de velocidade. Mesmo na época em que foi lançado, o USB 1.1 trazia velocidades já consideradas lentas em relação a outros barramentos, como o fireware e o SCSI, mas já era um grande avanço em relação às portas seriais e paralelas e na universalização de um conector padrão para periféricos.

USB 2.0

A atualização do padrão USB para a versão 2.0 em 2000 deu um grande passo em relação à sua popularização. Com a velocidade máxima teórica de 480 Mbps de transferência, ele começou a ser bastante utilizado por dispositivos que exigiam mais largura banda, como pendrives e discos rígidos externos e até monitores. O conector desse padrão é o mesmo usado no 1.1.

Com uma largura de banda 40 vezes maior que o modelo anterior, a versão 2.0 é o padrão até hoje, pois preenche a necessidade da maioria dos dispositivos que utilizamos. Dispositivos mais lentos, como teclados, mouses e pendrives, requerem uma largura de banda, consumo de energia e tempos de acesso bastante baixos, de forma que o USB 2.0 possui especificações de sobra para dar conta desses produtos.

USB 3.0

Ainda caminhando em relação à popularização, o USB 3.0 fornece uma taxa de transferência de dados (teórica) de até 4.8 Gbps, e um fornecimento de energia 80% maior em relação aos padrões anteriores, o que o torna ideal para gadgets de alta performance como pendrives e discos rígidos mais velozes.

Como muitas vezes acontece na computação, uma especificação só se torna padrão devido à demanda pelo seu uso. Como atualmente o USB 2.0 ainda preenche a necessidade da maioria dos dispositivos no mercado, os fabricantes continuam oferecendo soluções híbridas em seus produtos, com uma ou duas portas USB 3.0 e pelo menos uma porta USB 2.0 para baratear o preço final.

USB 3.0 chegou com mais pinos e conector azul / PCWorld

Outra mudança implementada no USB 3.0 é a utilização de um conector de 9 pinos em vez dos 4 pinos utilizados nas versões anteriores para um melhor controle no fluxo de dados e gerenciamento de energia. Ele pode ser diferenciado dos outros anteriores por seu conector de cor azul.

É importante lembrar que, até o padrão 4.0, todos os conectores USB são retrocompatíveis sem necessidade de uso de um adaptador, ou seja, um dispositivo USB 2.0 funciona em uma entrada USB 3.0 e vice-versa, e o mesmo ocorre com o USB 1.1.

O USB 3.1, por sua vez, foi lançado como uma atualização ao padrão 3, com mesmo conector e compatibilidade, porém com uma velocidade de transferência maior, de até 10 Gb/s.

USB 4.0 (USB-C)

Anunciada em março de 2019, mas apresentada oficialmente no início de setembro, o padrão 4.0 deve ser lançado em novos dispositivos a partir de 2020. Essa versão traz como diferencial a porta USB-C pela primeira vez, dos dois lados, diferente das versões anteriores. Isso significa que você terá que usar um adaptador para conectar um cabo USB 4.0 em um periférico externo que tenha saída USB 3.0 ou posterior.

A mudança no conector foi necessária para que o novo padrão entregasse uma velocidade de transmissão de dados tão grande quanto seu concorrente, o Thunderbolt 3, que também passou a usar conector USB-C a partir de sua terceira versão (antes o padrão era proprietário da Intel).

O USB 4.0 terá o dobro da velocidade do padrão mais recente, o USB 3.1, que ganhou uma variante ao longo dos últimos anos, o USB 3.2, voltada para o segmento corporativo. Todas essas variantes, contudo, contam com o mesmo conector dos demais padrões com uma indicação azul no encaixe e nove pinos.

Novo padrão usa porta USB-C dos dois lados / PocketNow

Usando como base o projeto da Intel para o Thunderbolt 3, o USB 4.0 com conector USB-C entregará 40 Gb/s de velocidade de transferência de dados. Você também poderá usar o novo cabo em todos os dispositivos com porta Thunderbolt 3, como monitores, drivers externos, baterias portáteis e modens, por exemplo.

Em resumo, eis as velocidades do padrão USB até o 4.0:

  • USB 1: 12 Mbps
  • USB 2.0: 480 Mbps
  • USB 3.0: 5 Gb/s
  • USB 3.1: 10 Gb/s
  • USB 3.2: 20 Gb/s
  • USB4: 40 Gb/s (compatível com Thunberbolt 3)

Você já conhecia as diferenças entre os padrões USB?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.