Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Como escolher o melhor aparelho de som para o seu tipo de uso?

Por| Editado por Léo Müller | 11 de Junho de 2023 às 11h00

Link copiado!

Erick Teixeira/Canaltech
Erick Teixeira/Canaltech
Edifier S360DB

Assim como ocorre em quase todo segmento, o mercado de aparelhos de som sofreu mudanças com o passar dos anos. Equipamentos mais recentes acabaram substituindo outros que, até pouco tempo, eram unanimidade entre os consumidores. Dentre os produtos tradicionais e as novas opções, você saberia escolher o melhor aparelho de som de acordo com as suas necessidades?

Será que as populares soundbars são realmente úteis? E as torres de som, quando elas valem a pena? Qual é a melhor caixa de som para usar como home cinema?

É para responder a questões como essas que nós criamos este guia. Ele explica o funcionamento básico dos diversos tipos de aparelhos de som, e informa o melhor tipo de uso para cada um deles.

Continua após a publicidade

🛒 Você encontra os melhores aparelhos de som em promoções incríveis no Canaltech Ofertas

Sistemas de som tradicionais

Entre os sistemas de som domésticos, encontramos os aparelhos convencionais, que já estão no mercado há muitos anos, como os micro-systems, os mini-systems e os mid-systems.

Micro-systems

Os micro-systems são aparelhos de som pequenos e portáteis. Eles são, basicamente, a evolução dos antigos rádios AM/FM, e costumam ser equipados com dois alto-falantes, o que significa que eles possuem áudio estéreo. Eles sempre possuem uma alça para facilitar o transporte.

Os primeiros micro-systems podiam reproduzir músicas via rádio nas bandas AM e FM, e também tinham um “tape deck” para tocar as fitas cassete. Mais tarde, o tape deck foi substituído pelo tocador de CDs.

Tipo de uso

Continua após a publicidade

Os micro-systems são indicados para usuários que ainda possuem CDs e precisam de um equipamento leve e fácil de transportar. Os modelos mais recentes também possuem conexão Bluetooth, para tocar música diretamente do celular.

Mini-systems

Os mini-systems são aparelhos de som compactos, mas que não são voltados para a portabilidade. Eles oferecem mais recursos e maior potência do que os micro systems, mas devem ficar instalados de maneira fixa.

Continua após a publicidade

Esses aparelhos podem ter várias caixas de som, mas o equipamento central – onde fica o player de CDs, botões de controle e conexões – é bem compacto.

Tipo de uso

Os mini-systems costumam ter um tocador de CDs, mas também oferecem conexão Bluetooth e entrada USB, para poderem reproduzir arquivos de música do tipo MP3 e outros. Podem ser uma opção interessante para quem quer ter um aparelho completo, poderoso e fixo em algum ambiente.

Mid-systems

Continua após a publicidade

Os mid-systems são equipamentos de som mais completos. Eles geralmente acompanham um par de caixas de som estéreo, e possuem vários módulos empilhados uns em cima dos outros. Cada módulo é responsável por uma fonte sonora (rádio AM/FM, CD player, toca fitas cassete, vitrola, etc.). Esses equipamentos estão em desuso há alguns anos.

Soundbars

As soundbars tomaram conta do mercado há alguns anos, e se tornaram a principal opção para quem quer dar um upgrade no som da TV.

Continua após a publicidade

Como quase todo produto que se populariza rapidamente, esse tipo de equipamento de som passou a explorar estratégias de marketing para chamar a atenção dos consumidores. No entanto, a maioria deles não oferece a qualidade de áudio que afirmam, muito menos a potência rotulada.

Aliás, o próprio conceito de soundbar não faz muito sentido, se considerarmos que o som estéreo precisa de um determinado afastamento das caixas de som para poder entregar uma experiência espacial satisfatória. Como grande parte das soundbars possuem comprimento inferior ao de smart TVs maiores, esse afastamento é prejudicado, o que compromete a experiência sonora final.

Há ainda soundbars com diversos alto-falantes, que prometem oferecer som tridimensional, ou seja, uma sensação de som vindo de várias direções. Esses produtos visam substituir os antigos home theaters 5.1 ou 7.1, mas, mais uma vez, todos os canais de áudio ficam muito próximos uns dos outros.

Continua após a publicidade

Outro tipo comum de soundbar são os 2.1, ou seja, as que vêm acompanhadas de um subwoofer. Esses produtos costumam somar dois problemas: o afastamento incorreto dos canais de áudio e a presença de uma caixa extra que não cumpre com sua função.

Os subwoofers servem para reproduzir as frequências mais baixas (subgraves) presentes em músicas, trilhas sonoras e efeitos sonoros especiais de filmes e séries. O problema é que os subwoofers que acompanham as soundbars costumam ser pequenos demais, e não têm potência suficiente para deslocar o ar do ambiente da maneira adequada. O resultado é um som com excesso de frequências graves e pouca – ou nenhuma – presença de subgraves.

Esse, inclusive, é um problema comum a qualquer tipo de equipamento de som que acompanha um subwoofer. Na maioria das vezes, um par de caixas estéreo 2.0 de boa qualidade oferece áudio com mais qualidade do que um setup equipado com um subwoofer pequeno e de qualidade duvidosa (vide alguns modelos de smart TVs, home theaters e sistemas 2.1).

Tipo de uso

Continua após a publicidade

As soundbars são uma boa opção para quem tem uma TV com áudio de baixa qualidade ou com potência insuficiente. No entanto, elas só são um bom investimento quando representam um ganho real de qualidade sonora ou volume. Smart TVs mais avançadas contam com sistemas de som superiores às soundbars mais básicas. Portanto, a compra desses equipamentos deve ser muito bem analisada.

Home Theater 5.1 ou 7.1 (home cinema ou cinema em casa)

O conceito de home theater surgiu na década de 1990, depois que alguns aparelhos de som passaram a acompanhar várias caixas, além dos canais direito e esquerdo. Os home theaters se tornaram muito populares nos anos 2000. Esses equipamentos buscam oferecer uma experiência de áudio aprimorada, com vários canais de áudio, sendo que cada um deles é reproduzido por uma caixa de som dedicada.

Os modelos 5.1 e 7.1 se diferenciam por ter 5 e 7 canais, respectivamente, com a adição do subwoofer. No primeiro esquema, temos 1 caixa central, 2 caixas frontais e 2 caixas traseiras. No segundo esquema, temos mais 2 caixas laterais, além das já mencionadas no conjunto 5.1.

Continua após a publicidade

O objetivo principal de um home theater é oferecer áudio tridimensional, ou seja, que vem de todas as direções. Isso é uma simulação de como funciona um sistema de som em uma sala de cinema. O resultado é bem satisfatório, desde que o ambiente seja adequadamente projetado para a correta instalação de todas as caixas de som.

Tipo de uso

Os home theaters são indicados para quem possui salas amplas e projetadas para receber esse tipo de sistema. O equipamento por si só não vai oferecer som tridimensional se todas as caixas de som estiverem posicionadas na frente do usuário.

Continua após a publicidade

Sistemas de som 2.1 (estéreo)

Os sistemas de som estéreo possuem duas caixas de som (dois canais de áudio). Já os sistemas 2.1 adicionam um subwoofer ao setup, totalizando três caixas de som. O objetivo desse equipamento é oferecer boa qualidade de áudio com foco no consumo de músicas, em que os canais direito e esquerdo já são suficientes para fornecer uma boa sensação de palco sonoro.

Caixas de som de boa qualidade, mesmo com apenas dois canais, oferecem boa qualidade de áudio para músicas e filmes. Como os canais são separados em duas caixas dedicadas, é possível posicioná-las de modo que o usuário tenha uma melhor percepção de direcionamento sonoro.

Continua após a publicidade

O subwoofer é responsável por reproduzir as frequências mais baixas do som tocado, ou seja, os subgraves. Esse tipo de caixa de som é importante para reproduzir os sons de alguns instrumentos musicais – ou efeitos sonoros – com mais precisão. O recurso faz diferença na maioria dos gêneros musicais e também em filmes, séries e jogos.

Tipo de uso

Os sistemas de som 2.1 ou 2.0 (sem subwoofer) são indicados para todo tipo de usuário, desde fãs de músicas até os aficionados por filmes e séries. Com um equipamento de boa qualidade, é possível obter excelente qualidade sonora na reprodução de qualquer conteúdo.

Vale destacar que um sistema 2.1 premium oferece qualidade de áudio superior à maioria dos home theaters e soundbars do mercado. Por isso, esses equipamentos também podem atender à proposta de “cinema em casa”.

Torres de som (sound towers)

As torres de som vêm se tornando cada vez mais populares nas residências. Contudo, esses equipamentos são voltados para a sonorização de ambientes amplos. Por isso, geralmente são associados a festas ou eventos ao vivo. Alguns modelos possuem até alças e rodinhas para facilitar seu transporte entre diferentes locais.

Tipo de uso

As torres de som também podem oferecer muita versatilidade quanto à conectividade. Os modelos mais avançados devem oferecer múltiplas opções de conexão com outros equipamentos. E há ainda alguns modelos que aceitam microfone e instrumentos musicais. Dessa maneira, além de funcionarem como uma caixa Bluetooth, elas também são usadas como um amplificador.

As torres de som não oferecem uma boa experiência para quem quer um sistema de home cinema ou ouvir músicas com boa percepção de palco sonoro. Nesses equipamentos, todos os alto-falantes ficam aglomerados no mesmo gabinete. Por isso, o som não é estéreo.

Para obter um som verdadeiramente estéreo em torres de som, é necessário utilizar dois aparelhos ligados juntos, por meio de um recurso especial de pareamento, com ou sem cabo. Mesmo nesses casos, a experiência com filmes não é das melhores, já que esses equipamentos não são otimizados para diálogos. Sem falar o gasto extra com uma segunda torre de som.

Caixas de som Bluetooth

Hoje em dia, todo equipamento de som possui conectividade Bluetooth. Mas foram as caixas de som portáteis que popularizaram esse tipo de conexão, que surgiu inicialmente nos fones de ouvido. As caixas de som Bluetooth são uma evolução dos micro-systems em matéria de portabilidade.

As caixas de som Bluetooth podem ser muito versáteis quanto ao tamanho. Há modelos muito compactos, que cabem até no bolso, enquanto que outros são bem parrudos e potentes. Alguns modelos também oferecem boa durabilidade, podendo ser resistentes à poeira e à água. Por isso, eles são indicados para quem pratica esportes radicais.

Tipo de uso

As caixas de som Bluetooth são ótimas companheiras de fãs de música que querem ouvir seus artistas favoritos em qualquer lugar, a qualquer momento. Dependendo do modelo, elas podem ser levadas para o banheiro, para a beira da piscina ou até em uma trilha.

Geralmente, elas só podem reproduzir músicas conectadas a um celular (streaming), com ou sem cabo. Mas alguns modelos têm uma porta USB, para reproduzir arquivos de músicas armazenados em pendrives.

Mesmo os modelos mais avançados e potentes não são recomendados para a proposta de home cinema, uma vez que a separação dos canais (som estéreo) é limitada.

Caixas de som inteligentes (smart speakers)

De maneira bem simplificada, os alto-falantes inteligentes são caixinhas de som dotadas de um assistente de voz. Elas se conectam à internet (Wi-Fi) e podem realizar uma série de tarefas por meio de comandos de voz do usuário.

Além de poder ouvir suas músicas favoritas, também é possível fazer pesquisas na internet, adicionar itens a uma lista de compras, checar a agenda, conferir a previsão do tempo, programar lembretes, controlar outros dispositivos inteligentes da casa, entre outros recursos.

Tipo de uso

Os smart speakers são caixas de som compactas, mas que precisam ficar instaladas de maneira fixa no ambiente, pois são alimentadas via cabo de força. Alguns modelos oferecem integração com serviços de streaming, e podem reproduzir músicas mesmo sem estarem conectados ao celular.