Justiça chinesa proíbe temporariamente venda de chips de memória Micron no país

Por Ares Saturno | 05 de Julho de 2018 às 17h25

Uma decisão da corte chinesa determinou que a Micron Technology está temporariamente barrada de vender 26 de seus semicondutores, incluindo chips de memória flash DRAMM e NAND, para consumidores da China, principal mercado para seus produtos. A alegação apresentada na Justiça chinesa é que a Micron teria violado patentes detidas pela United Microelectronics Corp (UMC), de Taiwan.

A importância do mercado chinês para a Micron é tão significativa que, assim que a notícia foi publicada pela própria UMC, na última terça-feira (3), as ações da Micron foram abaixo. Metade da receita da companhia se deve às vendas no mercado chinês.

O veto é um novo capítulo na crescente tensão entre Washington e Pequim e tenta fortalecer as fabricantes orientais de chips domésticos para lidar com a demanda do mercado, a fim de diminuir a dependência dos produtos ocidentais, como a Micron e a Qualcomm. A Justiça chinesa também investiga, além da Micron, algumas concorrentes sul-coreanas, suspeitas de fixar os preços de chips de memória para obter vantagens nas vendas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Procurada pela Reuters, a Micron se recusou a comentar o ocorrido por ainda não ter sido comunicada oficialmente da decisão judicial. A corte chinesa também não se pronunciou sobre o assunto, exceto para afirmar que a decisão ainda não havia se tornado pública se não no texto da UMC.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.