Concorrente chinesa da GeForce GTX 1080 começa a ser produzida no 3º trimestre

Concorrente chinesa da GeForce GTX 1080 começa a ser produzida no 3º trimestre

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 05 de Julho de 2021 às 10h40
Reprodução/Nvidia

O mercado de GPUs é hoje dominado pela Nvidia e a família GeForce RTX 3000, seguida de perto pela AMD e a linha Radeon RX 6000. As duas empresas mantém o duopólio do segmento há anos, sem que uma fabricante tivesse recursos e um projeto robusto o suficiente para competir igualmente com as gigantes.

A situação pode estar prestes a mudar com a entrada da Intel, já consolidada no mercado de CPUs, e a linha Xe, com séries dedicadas a games, baixo consumo, computadores de alta performance e servidores. Há, no entanto, uma quarta companhia que, apesar de ainda estar distante, tem planos ambiciosos.

Trata-se da chinesa Jingjia Micro, que havia anunciado no final de 2019 a JM9271 e a JM9231, duas novas GPUs que prometem rivalizar com placas de vídeo relativamente recentes da Nvidia e AMD. Em comunicado emitido nesta semana, a fabricante revelou que ambas as soluções começarão a ser fabricadas em breve.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Fabricação começa no 3º trimestre de 2021

Segundo a mensagem, as novas placas da Jingjia Micro entram em fase de tape out no terceiro trimestre deste ano. O termo refere-se ao início da produção, em que a companhia enviará às fábricas o projeto do circuito. Considerando que as novidades serão dedicadas à força aérea da China,o lançamento também é esperado para o terceiro trimestre.

Apesar do desempenho bem abaixo de GPUs mais modernas, as soluções da Jingjia Micro marcam um avanço importante da China no segmento (Imagem: Reprodução/WCCFTech)

Apesar do foco em militares, a JM9271 e a JM9231 têm especificações robustas, mirando na GTX1080 e GTX 1050, respectivamente, com algumas vantagens interessantes como a presença da interface PCI-E 4.0. Ainda assim, também há desvantagens — sem preocupação com o consumo, ambas são fabricadas em um processo de 28 nm, já bastante antiquado mesmo quando comparado às rivais da Nvidia, produzidas em 16 nm.

JM9271 rivaliza GTX 1080 e Vega 64

Mais potente dos dois modelos, a JM9271 mira na GeForce GTX 1080 e Radeon Vega 64 ao entregar cerca de 8 TFLOPs de poder computacional. Não há muitos detalhes do chip em si, mas sabe-se que há 16 GB de VRAM HBM, com largura de banda de 512 GB/s, maior que os 320 GB/s da rival da Nvidia. Os clocks também são mais altos, passando dos 1.800 MHz.

A JM9271 se destaca pela memória, interface e largura de banda, mas tem alto consumoe e não suporta DX12 (Imagem: Reprodução/MyDrivers)

Outros destaques incluem ainda suporte ao codec H.265, reprodução de vídeos em até 4K a 60 FPS, pixel fill rate de 128 GPixels/s e conexão PCI-E 4.0 x16. Como citado anteriormente, o consumo não é uma das preocupações e atinge elevados 200 W. Outra desvantagem é a ausência das APIs de vídeo DirectX 12 ou Vulkan, bastante populares, havendo apenas OpenGL 4.5 para gráficos e OpenCL 2.0 para processamento de dados, ambas de código aberto.

JM9231 concorre com GTX 1050 e RX 560

A JM9231 é a solução de entrada da Jingjia Micro e mira na GeForce GTX 1050 e Radeon RX 560, entregando 2 TFLOPs de poder computacional. A placa contará com 8 GB de VRAM GDDR5 com largura de banda de 256 GB/s, mais de 32 GPixels/s de pixel fill rate e clocks acima dos 1.500 MHz. Diferente da irmã mais poderosa, no entanto, a interface utilizada é a PCI-E 3.0 x16.

A JM9231 entrega mais desempenho que a GTX 1050, mas consome o dobro de energia (Imagem: Reprodução/Nvidia)

Há ainda codec H.265, reprodução de vídeos em até 4K a 60 FPS, e consumo estimado de 150 W, número significativamente mais alto que os 75 W da GTX 1050. Novamente, para gráficos e processamento, são utilizadas a OpenGL 4.5 e a OpenCL 2.0

Fonte: WCCFTech, MyDrivers, Tom's Hardware

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.