Bateria estufada: saiba o que leva a esse problema e como evitá-lo

Se alguma vez você se deparou com sua bateria “estufada”, ou seja, em um tamanho maior do que ela deveria estar, é necessário dar a devida importância para o acontecimento, uma vez que se trata de uma situação emergencial onde medidas devem ser tomadas a fim de evitar consequências bem sérias.

Para entender por que uma bateria estufada pode ser tão grave, é necessário passar por outras questões primeiro, conhecer, de fato, o funcionamento da bateria, o processo de estufamento e o que ele pode causar ao seu dispositivo. Confira todas essas informações a seguir:

Como funciona uma bateria

Todas as baterias, sejam ela de notebooks, celulares ou de quaisquer outros dispositivos, atualmente são confeccionadas com íons de lítio (também conhecidos como Li-Ion). Esses íons conferem a elas maior capacidade de armazenamento de energia e prolongam sua vida útil, que é medida em número de ciclos. Essa foi uma inovação e tanto comparada às baterias que utilizavam hidreto metálico de níquel (Ni-MH).

O lítio é um dos metais mais leves e seu processo de extração costuma ser muito complexo. Durante o processo de produção da bateria, ele é processado, prensado e armazenado em bobinas, que depois são utilizadas para fabricar células de baterias.

Bateria confeccionada com íons de lítio (Foto: iFixit)

Tendo em vista essas informações, podemos concluir que o armazenamento e o fornecimento de energia das baterias de íons de lítio acontece exclusivamente por reações químicas. Assim, fatores como o processo de fabricação, o superaquecimento e o formato da bateria pode afetar em sua duração, desempenho e causar uma série de anomalias (que podem ser perigosas).

As células de bateria podem ser fabricadas em diversos formatos. Os mais comuns são o retangular e o cilíndrico, que costuma ser mais resistente ao superaquecimento ou sobrecarga. No entanto, o formato encontrado em baterias de celulares, tablets e até de alguns notebooks é o retangular, o que significa que tais dispositivos não são tão resistentes a esses fatores.

O que pode deixar uma bateria estufada?

O estufamento da bateria acontece quando o mesmo composto químico mencionado no início do texto, o Li-Ion, entre em contato com o oxigênio, que o oxida e causa a expansão de todos os componentes da bateria, obrigando suas paredes a se dilatarem a fim de comportá-los. Assim, uma bateria estufada nunca é um bom sinal, mas indica que algo não está funcionando como deveria. Portanto, encare a situação como um sinal de alerta.

O lítio, quando em contato com o oxigênio, faz com que a bateria "estufe" (Foto: TI Fast)

O que acontece quando tenho uma bateria estufada?

Existem duas consequências diretas de uma bateria estufada que devem ser encaradas com extrema seriedade. São elas:

Dano ao dispositivo

Smartphones, notebooks e tablets podem ser muito prejudicados por um mau funcionamento da bateria. Os notebooks, em especial, podem ter outros de seus componentes danificados por conta do vazamento de componentes químicos, como o teclado e as placas. Já, no caso de tablets e smartphones, a bateria estufada pode causar o desligamento do aparelho a qualquer momento.

Acidentes graves

A bateria estufada também pode expor os donos de smartphones a acidentes muito sérios, sendo eles a explosão do aparelho, que pode causar queimaduras graves ou até a morte, como ocorreu com uma jovem de 14 anos, no Cazaquistão, em setembro deste ano. Por isso, é extremamente importante evitar a qualquer custo sobrecargas de energia durante o carregamento do aparelho. Sempre que possível, tire-o da tomada assim que o carregamento estiver completo. Há cerca de dois anos, a Samsung suspendeu as vendas do Galaxy Note 7 justamente por sobrecarga de bateria, temendo pela segurança de seus clientes. O modelo foi submetido a uma série de testes antes de voltar para o mercado.

Celular após uma explosão de bateria (Foto: East2West News)

Como evitar uma bateria estufada em seu smartphone ou tablet

Para evitar que sua bateria fique estufada, é importante seguir algumas dicas valiosas. São elas:

Evite usar fontes de alimentação de baixa qualidade

Jamais carregue seu smartphone ou tablet em lugares com variação de tensão, um carregador falso ou de baixa qualidade. Além de comprometer a vida útil da bateria, essas práticas podem causar seu estufamento. Busque utilizar sempre carregadores que venham acompanhados de certificações de seu fabricante.

Caption

Não use o smartphone ou tablet enquanto ele está carregando

Embora essa prática seja frequente, ela também não é recomendada. Isso porque o uso do dispositivo enquanto ele está conectado à uma fonte de energia pode superaquecer sua bateria, que trabalha muito mais para alimentar a tela, o processador e, ao mesmo tempo, recarregar o aparelho. Alguns fabricantes têm tentado melhorar esse aspecto, porém ainda vale tomar alguns cuidados e, sempre que possível, evitar o uso.

Fuja de variações de temperatura muito intensas

Evite expor seu smartphone/tablet ao Sol caso não queira ter uma bateria estufada. Isso porque as variações de temperatura e o calor excessivo podem fazer com que as reações químicas da bateria sejam comprometidas, dilatando as células, causando uma série de fissuras em sua blindagem e, consequentemente, permitindo que o lítio entre em contato com o oxigênio, o que resulta em estufamento.

Bateria estufada em um Samsung (Foto: Reprodução/Youtube)

Dicas para notebook

Caso sua preocupação seja com seu notebook, existem maneiras de evitar o superaquecimento e, em consequência, a bateria estufada. Sempre que possível, realize limpezas com uma flanela limpa e sem produtos que possam comprometer a tela (o ideal é usar o pano seco). Além disso, busque sempre utilizá-lo em superfícies planas e que permitam sua ventilação (por isso, nada de usá-lo sempre no colo ou em cima da cama).

Vale também verificar se o carregador usado é original ou o modelo correto para seu notebook. Evite versões piratas. Embora mais baratas, elas podem danificar o aparelho e tornar os gastos com seu conserto ainda maiores. Lembre-se: o barato pode sair caro.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.