NSA alerta para novos ataques hackers de origem chinesa

Por Felipe Demartini | 13 de Dezembro de 2018 às 16h30

A China estaria em fase avançada de preparação para um grande ataque cibernético contra empresas de infraestrutura, principalmente, dos Estados Unidos. O alerta foi feito por Rob Joyce, conselheiro em segurança digital da NSA, que afirmou ser possível encontrar indícios de posicionamentos e antecipação para um golpe digital patrocinado pela nação rival, que poderia acontecer a qualquer momento.

Falando durante uma conferência de segurança da informação promovida pelo jornal americano The Wall Street Journal, Joyce disse temer por serviços de energia elétrica, transportes, saúde e finanças. Tais setores costumam ser os alvos de ataques promovidos por governos contra países rivais, com as movimentações online chinesas indicando que eles estariam se preparando para ir além das tradicionais invasões de sistemas em busca de segredos industriais ou espionagem.

O oficial não entrou em tais detalhes, mas a ideia é que tais ataques, se estiverem mesmo sendo preparados, seriam uma retaliação às recentes tensões diplomáticas entre Estados Unidos e China. Enquanto os presidentes Donald Trump e Xi Jinping tentam encontrar um caminho em meio à crise tarifária, com direito a uma trégua anunciada na última semana, oficiais americanos pedem a extradição de Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei, acusada de fraude e presa na última semana no Canadá.

A detenção aumentou as tensões entre os dois países, apesar de uma coisa ainda não ter refletido sobre a outra. O governo chinês pede a libertação imediata da executiva enquanto a própria alega sofrer de hipertensão, pedindo sua soltura por motivos de saúde. Enquanto isso, os EUA trabalham com o Canadá para que ela possa ser extraditada para responder às acusações de fraude e violação de sanções comerciais, por ter feito negócios com países como Irã e Coreia do Norte a partir de uma empresa de fachada.

Apesar de ter feito uma acusação clara, Joyce não foi além em seus comentários, deixando de apresentar provas sobre a suposta movimentação cibernética chinesa nem indicando possíveis alvos específicos. Porta-vozes da NSA também não comentaram o caso, assim como o governo chinês, que não se pronunciou sobre a acusação específica, mas vem negando veementemente todos os comentários desse tipo vindos de oficiais americanos.

Relatos não-oficiais indicam ainda que, nesta semana, o governo dos Estados Unidos deve anunciar uma nova rodada de indiciamentos de chineses por atividades ligadas a espionagem e invasões de sistemas. Os hackers estariam envolvidos em uma operação chamada de Cloudhopper, voltada para obter segredos industriais de provedores de serviços de tecnologia e dados pessoais de usuários.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.