Como as cidades brasileiras podem se tornar mais inteligentes

Por Stephanie Kohn | 18 de Maio de 2018 às 14h43
photo_camera público

A conectividade trazida pela Internet das Coisas e Computação na Nuvem estão revolucionando a forma como vivemos em sociedade. Com a coleta de dados de tráfego urbano, níveis de poluição e uso de energia as cidades tem se tornado mais eficientes e seguras. No Brasil, ainda engatinhamos diante das inúmeras possibilidades, mas já contamos com alguns casos de sucesso que merecem ser compartilhados. 

Em entrevista exclusiva, Jeff Kratz, Gerente Geral de Setor Público para a América Latina e o Canadá da Amazon Web Services, conta como as startups brasileiras estão usando a tecnologia da companhia no desenvolvimento de Smart Cities

Canaltech - Qual é o principal case de cidade inteligente brasileira, quais são as tecnologias usadas e como elas afetam a vida do cidadão? 

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Jeff Kratz - Muitas cidades brasileiras, de todos os tamanhos, estão dando passos nessa direção com a ajuda dos recursos baseados na nuvem da AWS, trazendo benefícios para a população e aumentando a velocidade com que se tornam Smart Cities.

Um exemplo é a Camerite, uma startup brasileira de Joinville (SC) que oferece uma plataforma colaborativa baseada em nuvem para monitoramento de vídeo, permitindo que qualquer câmera DVR ou IP se torne uma câmera de vigilância. Ela foi escolhida, em 2017, para o projeto City Câmeras, em São Paulo, criando uma plataforma de vigilância colaborativa com a ajuda dos cidadãos. Usando inteligência artificial - também baseada na nuvem da AWS -, eles podem identificar padrões de movimento, faces, placas de carros e outros detalhes e oferecer um serviço de monitoramento inteligente.

Outro exemplo de uso da tecnologia da nuvem em Smart Cities é oferecido pela RasSystem, de Recife. A empresa, que fornece soluções inteligentes de logística, rastreamento e monitoramento de frotas, criou um sistema chamado RasCol. Ele permite o monitoramento em tempo real da limpeza de vias públicas e coleta de lixo, com caminhões de lixo com GPS e carrinhos com câmeras que tiram fotos das ruas.

CT - Como uma cidade pode se preparar para se tornar uma smart city? 

JK - Qualquer cidade pode se tornar uma Cidade Inteligente e estamos vendo os governos municipais percebendo os benefícios de investir na nuvem. Ao adotar a computação em nuvem, eles têm custos de TI mais baixos, mais segurança, velocidade de implementação, poder de processamento e escalabilidade. Mais especificamente, os governos podem se beneficiar da computação em nuvem de muitas maneiras, do gerenciamento de dados às funcionalidades Smart City. Por exemplo, com Open Data, que disponibiliza informações para o público acessar e usar, e ferramentas IoT, que estão sendo usadas em áreas como como gerenciamento de água, transporte, segurança pública, serviços municipais, infraestrutura inteligente e serviços de saúde.

Com a computação em nuvem, qualquer cidade pode se tornar uma cidade inteligente de uma maneira muito mais fácil e rápida. A nuvem permite que as cidades obtenham uma infraestrutura de TI flexível, segura e econômica, com implantação rápida e tempo reduzido entre o início de um projeto e sua implementação.

Além de ter uma tecnologia acessível e fácil de usar com a computação em nuvem, as cidades também podem contar com um incrível ecossistema crescente de startups no Brasil, que cria soluções inovadoras em um ritmo muito rápido. Há muitos que trabalham em estreita colaboração com os governos municipais para desenvolver produtos que usam tecnologias baseadas em nuvem, como IoT, Inteligência Artificial e Big Data para melhorar a vida dos cidadãos e a gestão da cidade.

CT - O que exatamente a AWS pode oferecer a uma cidade?

JK - A AWS é a plataforma de nuvem mais abrangente do mundo, com mais de 100 serviços completos de computação. Entre esses serviços, há tecnologias de aprendizado de máquina, inteligência artificial e IoT, usados por governos e empresas para criar soluções que desenvolvem cidades inteligentes. E a AWS está continuamente lançando novos recursos e serviços: somente em 2017, foram 1.430.

CT - Pode comentar sobre o principal case de sucesso mundial da AWS em smart city?

JK - Temos centenas de exemplos de clientes da AWS em todo o mundo usando a computação em nuvem para criar soluções para cidades inteligentes.

Um exemplo é um projeto chamado Street Bump, em Boston, EUA. O Street Bump é um aplicativo baseado na AWS que usa sensores de smartphone, como o acelerômetro, para coletar informações sobre as condições do asfalto enquanto as pessoas dirigem. Esses dados são, então, enviados para a prefeitura, que pode identificá-los e resolvê-los rapidamente.

Outro exemplo vem do departamento de trânsito da cidade de Nova York, que conta com a nuvem da AWS para melhorar a segurança no trânsito, com o objetivo de eliminar acidentes fatais na cidade. Eles aproveitam os dados do usuário para redesenhar o tráfego e desenvolveram um aplicativo da Web chamado Vision Zero View para os cidadãos verem onde os acidentes ocorreram na cidade, incentivando-os a dirigir com mais cuidado.

Por fim, a cidade de Chicago criou o aplicativo OpenGrid com a AWS. É um mapa interativo e colaborativo que reúne todo tipo de informação, de estatísticas de trânsito e crime a novos restaurantes ou o meio ambiente na cidade. O OpenGrid usa a computação em nuvem para promover uma integração perfeita entre governo, empresas e população na gestão da cidade.

Quer saber quais são as 10 cidades do mundo melhor preparadas para o futuro? Leia essa matéria publicada pelo Canaltech.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.